Schalken é campeão do Brasil Open

O holandês Sjeng Schalken fez a festa na Costa do Sauípe. Conquistou o título do Brasil Open, ao derrotar o alemão Rainer Schuettler por 6/2 e 6/4, melhorou sua posição na corrida dos campeões e aproveitou o clima baiano para anunciar seu casamento com sua noiva, Ricky, para 21 de novembro deste ano."Não esperava conquistar este título, depois de ter visto a chave com Guga, Fernando Gonzalez, Schuettler, mas acredito que o fato de ter jogado aqui no ano passado ajudou", disse o campeão, "E estar num lugar tão bonito como este, me deixa a certeza de querer voltar a disputar o torneio no próximo ano." A dúvida, porém, fica para ser resolvida nos próximos dias. Afinal, a Octagon Koch Tavares não anunciou ainda a sede do Brasil Open do próximo ano. O torneio agora fará parte do chamado Tour Latino, será disputado em fevereiro, em pleno Carnaval, em quadras de saibro e poderá tanto ser jogado em São Paulo, Rio ou continuar no paraíso do Sauípe.Se a Octagon não sabe ainda onde será disputado o torneio, pelo menos já sabe que o Brasil Open de 2004 terá uma chave ainda mais forte. Já está acertada, por exemplo, a participação do ex-número 1 do mundo e campeão de Roland Garros, o espanhol Carlos Moya. Além disso, como a competição estará envolvida em um circuito, começando por Viña Del Mar, indo para Buenos Aires, passando pelo Brasil e terminando em Acapulco, no México, a tendência é de que um número ainda maior de jogadores bem colocados no ranking disputem o torneio.Na final do torneio deste ano, sem a esperada presença de Guga, a torcida conformou-se com um bom jogo. O alemão Schuetter deixou claro por que é um top ten e mostrou um tênis consistentes, mas o holandês soube como ter uma boa tática para ganhar o título. "Temos um jogo muito parecido e percebi que não deveria atacá-lo tanto. A tática deu certo." DAVIS - No seu último dia de Costa do Sauípe, Gustavo Kuerten ainda aproveitou o sol e o belo cenário para jogar golfe. Depois de descontrair, seguiria viagem neste domingo ainda para Calgary, no Canadá, onde se junta a equipe brasileira, formada por Flávio Saretta, André Sá, Ricardo Mello e Franco Ferreiro. Guga demonstrou preocupação por este confronto válido pelo play-off do Grupo Mundial."É a primeira vez que iremos jogar uma repescagem fora de casa", enfatizou Guga. O Canadá por ter a sede dos jogos, escolheu uma quadra rápida, de carpete, em local coberto para surpreender o Brasil. O time que perder estará rebaixado para a segunda divisão. Os jogos serão de sexta-feira a domingo, em Calgary.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.