Schalken elimina Guga em Paris

Com um número alto de erros não forçados (31) e diante de um adversário impecável, Gustavo Kuerten cedeu sua primeira derrota em oito partidas para o holandês Sjeng Schalken. O resultado de 4/6, 6/4 e 6/4 custou uma vaga nas quartas-de-final do Masters Series de Paris, mas ainda assim vai manter Guga na liderança do ranking mundial e com boas chances de terminar a temporada como número 1, como é seu objetivo, no Master Cup de Sydney, que começa dia 12, reunindo os oito melhores jogadores de 2001. Com um jogo muito cuidadoso, especialmente no segundo set, e longe de mostrar o habitual arrojo em suas jogadas, Guga não repetiu a atuação da rodada anterior, quando eliminou Bohdan Ulihrach. Sem a mesma efetividade em seus golpes, abriu as portas para Schalken ganhar confiança e tornar-se um jogador bastante agressivo e eficiente. Foi, sum dúvida, uma das melhores atuações do tenista holandês, que vem de bons resultados, como o título do ATP Tour de Estocolmo, na semana passada. "Tenho de dar os parabéns para o Schalken", admitiu Guga. "Jogou muito tem, com muito mais confiança do que eu e a única chance que tive de quebrar seu serviço, consegui para vencer o primeiro set. Lamanto a oportunidade perdida, pois poderia ter ido mais longe neste torneio." Para Guga ainda assim restam boas esperanças de concretizar o sonho de terminar a temporada de 2001 como número 1 do mundo, repetindo o feito do ano passado. "Vou para Sydney com tudo, motivado e na esperança de fazer um bom torneio, para esquecer estas últimas semanas." Com os 15 pontos acumulados no Masters Series de Paris, Guga abre uma vantagem de 48 pontos na corrida dos campeões (771 contra 723) sobre o segundo colocado, o australiano Lleyton Hewitt. No ranking mundial, o tenista brasileiro defendia 225, somou apenas 75, mas ainda assim mantém-se no topo da classificação com 4.505 pontos, enquanto Andre Agassi tem 4.085. A derrota, porém, pesa pelo fato de Guga ter desperdiçado uma boa oportunidade de fazer outra boa campanha em Paris. Se tivesse passado para as quartas-de-final teria pela frente o sueco Andreas Vinciguerra, que, na surpresa da rodada, eliminou o russo Marat Safin por 6/4 e 6/4. Em outros jogos da rodada, o alemão Tommy Haas segue bem seu caminho rumo a Sydney, depois de ter vencido o belga Xavier Malisse, por 7/5 e 6/1, garantindo vaga nas quartas-de-final em Paris, diante do sueco Thomas Johansson, que eliminou o equatoriano Nicolas Lapentti por 6/3 e 6/3. O russo Yevgeny Kafelnikov também ganhou vaga nas quartas-de-final ao derrotar o espanhol Albert Costa por6/3 e 6/4. Enfrenta agora o checo Jiri Novak, que venceu o francês Julien Boutter por 6/3 e 7/6 (7/3).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.