Seth Wenig/AP
Seth Wenig/AP

Sem desistências, Thiago Monteiro é o 7º na lista de espera olímpica do tênis

Ranking usado para definir a classificação para Tóquio-2020 será o divulgado logo após Roland Garros, Grand Slam em Paris que começará neste domingo

Redação, Estadão Conteúdo

26 de maio de 2021 | 15h57

Com poucas semanas até a definição do ranking que servirá como base para a classificação olímpica, o brasileiro Thiago Monteiro parece ter boas chances de conseguir um lugar nos Jogos de Tóquio-2020. Único do País no Top 100 da ATP, ele atualmente é o 79.º do mundo e estaria em sétimo na lista de espera olímpica, sem contar ainda possíveis desistências.

O ranking usado para definir a classificação para Tóquio-2020 será o divulgado logo após Roland Garros, Grand Slam em Paris que começará neste domingo e terá sua final no dia 13 de junho. Os 56 mais bem colocados asseguram vaga na competição, mas como há um limite de no máximo quatro representantes por país a lista vai, no atual momento, até o 60.º lugar, ocupado pelo atleta da casa Yoshihito Nishioka.

Isso acontece porque entre os 56 melhores do ranking da ATP há cinco tenistas sérvios, cinco espanhóis e cinco franceses, com um sexto francês (Jeremy Chardy) aparecendo no 58.º posto e por isso liberando uma quarta vaga a mais.

Este limite de atletas por nação faz com que as 19 posições que separam Thiago Monteiro de Yoshihito Nishioka se tornem apenas sete, pois boa parte dos jogadores entre eles pertencem a países já com quatro representantes.

O primeiro desta hipotética lista de espera seria o australiano Alexei Popyrin, seguido pelo canadense Vasek Pospisil, pelo britânico Kyle Edmund, pelo checo Jiri Vesely, pelo finlandês Emil Ruusuvuori, pelo belorusso Egor Gerasimov e então por Thiago Monteiro.

Um representante nacional já está assegurado na competição. Campeão dos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, no Peru, o mineiro João Menezes levou uma vaga continental com a medalha de ouro, precisando ficar apenas no Top 300 (é o atual número 210) ao final de Roland Garros. Nas duplas, os mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo têm tudo para entrar pelo ranking combinado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.