FABRICE COFFRINI / AFP
FABRICE COFFRINI / AFP

Sem jogar desde julho, Roger Federer confirma presença em torneio na Suíça

Atual 41º do ranking, Federer entrará na competição com ranking protegido, podendo ser cabeça de chave na quadra dura e coberta da Basileia

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2022 | 12h32

Roger Federer confirmou nesta terça-feira seu primeiro torneio na atual temporada. O tenista suíço, que não entra em quadra para um jogo oficial desde julho do ano passado, vai disputar o Torneio da Basileia, de nível ATP 500, diante dos seus compatriotas, no fim de outubro deste ano.

A presença do ex-número 1 do mundo foi anunciada pela organização do torneio suíço. Em contato com a agência de notícias The Associated Press, o empresário do atleta, Tony Godsick, confirmou os planos do suíço de fazer seu retorno na reta final da temporada. Atual 41º do ranking, Federer entrará na competição com ranking protegido, podendo ser cabeça de chave na quadra dura e coberta da Basileia.

O agente, no entanto, evitou confirmar a presença do veterano em outros torneios, mais cedo, no calendário. Apesar disso, já se sabe que o suíço pretende entrar em quadra na Laver Cup deste ano, no fim de setembro. O torneio, que tem o próprio tenista como um dos seus organizadores, será disputado em Londres. Se ele não puder jogar, é possível que seu retorno oficial ao circuito seja mesmo na Basileia, onde já conquistou dez títulos, no dia 25 de outubro. Até lá, o experiente jogador já terá completado 41 anos de idade.

Ele não joga uma partida oficial desde o início de julho do ano passado, quando foi surpreendido pelo polonês Hubert Hurkacz nas quartas de final de Wimbledon. No total, ele disputou apenas cinco competições em 2021 e 13 jogos disputados (nove vitórias e quatro derrotas). Seu melhor resultado foi a campanha no Grand Slam britânico.

O tenista suíço vem enfrentando seguidos problemas físicos no joelho direito desde o início da pandemia de covid-19. Desde 2020, já foram três cirurgias no mesmo local. Inicialmente, seu plano era voltar em Wimbledon, em junho deste ano. Mas, em novembro de 2021, ele avisou que já descartara o Grand Slam britânico e projetava retornar somente no segundo semestre deste ano.

Enquanto esteve ausente do circuito, Federer viu seus principais rivais, o espanhol Rafael Nadal e o sérvio Novak Djokovic, evoluírem nos números e estatísticas. Djokovic, atual líder do ranking, alcançou os mesmos 20 títulos de Grand Slam do suíço. E Nadal superou esta marca, ao vencer o Aberto da Austrália deste ano, atingindo os 21 troféus e tornando-se o novo recordista de títulos deste nível.

Tudo o que sabemos sobre:
Roger Federertênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.