Sem ser cabeça de chave, Brasil tem 50% de chance de jogar em casa na Davis

Sorteio que define adversário brasileiro será nesta terça-feira

Estadão Conteúdo

18 de julho de 2016 | 12h18

A Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) confirmou nesta segunda-feira a relação de cabeças de chave para o sorteio dos playoffs da Copa Davis e confirmou que o Brasil não está na estrita relação que definirá o seu adversário na série agendada para o período entre 16 a 18 de setembro.

A definição dos cabeças de chave se deu através de ranking e apontou Suíça, Bélgica, Austrália, Canadá, Casaquistão, Espanha, Alemanha e Japão. Como o Brasil não faz parte desta lista, vai enfrentar uma dessas oito equipes nos playoffs. O rival será conhecido em sorteio marcado para esta terça-feira, às 7 horas (de Brasília), em Londres.

Diante desse cenário, o Brasil tem 50% de chance de ser mandante no confronto pelos playoffs da Davis. Isso ocorrerá se a equipe for sorteada para encarar a Suíça, que poderá utilizar Roger Federer e Stan Wawrinka, da Bélgica, vice-campeã da Davis no ano passado, ou da Alemanha.

Porém, a equipe será visitante caso encare Austrália, semifinalista da Davis em 2015, o Canadá, de Milos Raonic, ou da Espanha, a quem o Brasil superou nos playoffs em 2014 e conta com 12 jogadores entre os cem melhores ranquedados em simples e cinco no Top 100 dos duplistas.

Já caso o adversário seja o Casaquistão ou o Japão, o local do confronto será definido através de sorteio, pois estes duelos nunca ocorreram na história da Davis. Os outros países garantidos na repescagem são Eslováquia, Rússia, Índia, Ucrânia, Usbequistão, Polônia e Chile.

Os oito times que vencerem se garantem na elite da Davis no próximo ano, enquanto os derrotados terão que disputar os seus respectivos zonais. No último fim de semana, aliás, o Brasil se classificou aos playoffs ao bater o Equador por 3 a 1 em Belo Horizonte, pelo Zonal Americano I. Assim, agora lutará para voltar a participar do Grupo Mundial do torneio por equipes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.