Serena arrasa Sharapova e ganha Grand Slam pela 3ª vez

Serena Williams venceu neste sábado com extrema facilidade a russa Maria Sharapova, por 6/1 e 6/2, em 63 minutos, numa das finais femininas mais curtas da história do Aberto da Austrália. Rápida e contundente, a norte-americana seguiu os passos do suíço Roger Federer e do chileno Fernando González, que farão a final masculina no domingo. Ela chegou a comentar, depois do jogo, que se inspirou nas vitórias deles nas semifinais. "Decidi que eu também podia fazer a mesma coisa", disse. Serena conquistou seu terceiro Aberto da Austrália, surpreendendo o público. Todos esperavam mais empenho da russa, que na segunda-feira vai recuperar o posto de número um do mundo. Quem jogou como uma autêntica rainha do tênis mundial, porém, foi Serena. Ela conseguiu seu oitavo título de Grand Slam, o 27.º torneio de sua carreira e o reconhecimento unânime de que agora, como a 14.ª melhor do mundo, busca seu lugar no topo.Com o teto da quadra central fechado, Serena viu que a vitória podia ser garantida pelo seu saque. Sharapova não soube o que fazer para deter a rival. Presa no fundo da quadra, tentou como pôde resistir à força da norte-americana, que anotou sete "aces". Foram 64 em todo o torneio. Pelo segundo ano consecutivo, a final feminina foi um massacre. Em 2006, a francesa Amélie Mauresmo venceu a belga Justine Henin-Hardenne por 6/1, 2/0 e abandono, devido a problemas estomacais. Não houve dúvidas na vitória de Serena, que se jogou no chão após marcar o último ponto com um backhand espetacular. Depois, pulou de alegria, dançou e mandou beijos. "Não posso falar muito hoje. Pouca gente achava que você seria capaz de chegar à final, mas não podiam subestimar sua capacidade. Você é uma campeã incrível, sabia do que era capaz, como provou hoje e muitas vezes antes", disse a vice-campeã à sua adversária na entrega de troféus. A russa ainda lembrou como um dia, quando jogava o torneio júnior, sonhou que disputaria a final feminina. "Quero jogar contra você mais vezes e espero ganhar algumas", acrescentou. Com a mesma roupa verde que usou em todo o torneio, e chorando, Serena dedicou o título à sua irmã mais nova, Yetunde Price, assassinada no dia 13 de setembro de 2003 em Compton, (Los Angeles), após um acidente de trânsito. O discurso foi quase mais longo que sua atuação na quadra. Agradeceu a toda a sua família, especialmente à mãe, Oracene, e aos amigos, pelo apoio para não abandonar o tênis. "Mamãe, você sabe como eu sou", comentou. "Ela tem muitos anos pela frente, mais que eu", disse Serena sobre Sharapova. "É uma grande lutadora e sempre briga até o último ponto", elogiou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.