Serena e Dementieva vão às semifinais na Austrália

Com uma temperatura superior a 40ºC, russa venceu Carla Suárez, enquanto americana passou por Kuznetsova

AE-AP, Agencia Estado

28 de janeiro de 2009 | 08h48

Em uma quarta-feira de muito sol em Melbourne, a russa Elena Dementieva e a norte-americana Serena Williams se classificaram para as semifinais do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano. Mais do que os jogos, no entanto, a grande polêmica do dia foi a respeito do teto retrátil da quadra central, que recebeu as partidas. AP Russa Elena Dementieva enfrentará a norte-americana Venus Williams na semifinal do Aberto da Austrália Veja também:Rafael Nadal vence Gilles Simon e vai às semifinais na Austrália Federer atropela Del Potro e vai às semifinais Safina vence Dokic e avança às semifinais em Melbourne Na primeira partida do dia, a uma temperatura superior a 40 graus Celsius, Dementieva venceu a espanhola Carla Suárez Navarro por 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 6/2, e depois reclamou por jogar debaixo do sol do meio-dia. "Parece que ninguém sabe como as coisas funcionam aqui", disse Dementieva. "Achei que fechariam o teto se a temperatura chega a 40 graus, até porque isso já estava na previsão do tempo."No jogo seguinte, Serena bateu a russa Svetlana Kuznetsova por 2 sets a 1, com parciais de 5/7, 7/5 e 6/1, e foi Kuznestova que reclamou, porque o teto foi fechado durante a partida, logo após sua vitória no primeiro set, quando a temperatura superou os 42 graus."É claro que estou irritada, o jogo estava sendo do meu jeito, e de repente mudaram o tipo de jogo", reclamou Kuznetsova. Serena, por sua vez, admitiu que o tempo mais fresco, com o teto fechado e o ar condicionado funcionando, a ajudou a virar a partida. "O calor estava me deixando fora de si, como se eu estivesse vendo alguém jogar, de vestido azul, que não fosse eu mesma", contou.Nas semifinais, Serena enfrenta Dementieva, enquanto um duelo russo terá Dinara Safina contra Vera Zvonareva. E o abre-e-fecha do teto pode continuar, segundo o diretor do torneio, Craig Tiley. "Fazemos isso pela segurança dos atletas, para proteger os atletas e sua chance de jogar", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.