Stringer / Reuters
Stringer / Reuters

Serena Williams anuncia volta oficial às quadras em duelo da Fed Cup em fevereiro

Será contra a Holanda, em casa, na cidade de Asheville, nos dias 10 e 11 de fevereiro, na versão feminina da Copa Davis

Estadão Conteúdo

23 Janeiro 2018 | 23h26

A tenista norte-americana Serena Williams já definiu e anunciou a sua volta oficial às quadras após ser mãe no ano passado. Depois de desistir de participar do Aberto da Austrália, em Melbourne, que terminará neste domingo, a ex-número 1 do mundo divulgou, através da Federação de Tênis dos Estados Unidos (USTA, na sigla em inglês), que jogará o duelo da primeira rodada da Fed Cup - a versão feminina da Copa Davis - contra a Holanda, em casa, na cidade de Asheville, nos dias 10 e 11 de fevereiro.

+ Após abandono, Nadal critica circuito: 'Não sei se estão pensando na nossa saúde'

Afastada do circuito profissional há quase um ano - seu último jogo oficial foi em 28 de janeiro de 2017 -, Serena Williams voltou a atuar no dia 30 de dezembro, quatro meses após dar à luz a sua primeira filha, em um jogo de exibição contra a letã Jelena Ostapenko. E a norte-americana exibiu competitividade, tanto que venceu um set no confronto em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, que terminou com o triunfo da oponente por 6/2, 3/6 e 10 a 5 no match tie-break.

Poucos dias depois, a sete vezes campeã e ainda atual detentora do título anunciou que não iria disputar o Aberto da Austrália, primeiro Grand Slam do ano. Serena Williams, com 36 anos, afirmou que estava tentando recuperar a melhor forma física.

OBJETIVOS NO CIRCUITO

 A norte-americana ainda não voltou a competir oficialmente, mas já tem novas metas no circuito profissional. Com 23 títulos de Grand Slam, o seu grande objetivo agora é alcançar a marca de 25. Superaria, assim, o recorde de 25 conquistas, que pertence à australiana Margaret Court.

Segundo ela, a meta tem o apoio total do técnico Patrick Mouratoglou. "Lembro de como eu fiquei ansiosa para chegar ao número 18 para me igualar a Chris (Evert) e Martina (Navratilova). Eu perdi em todos os Grand Slam de 2014, estava no US Open e Patrick, meu treinador, disse: 'Serena, isso não faz sentido. Você está tão estressada pelo 18.º Slam. Por que não 30? Por que não 40?", contou a tenista à Vogue.

"Para mim, isso deu clique. Ganhei o 18.º, o 19.º e 20.º imediatamente depois. Por que eu gostaria de me igualar a alguém quando eu posso me destacar sozinha?", disse a tenista, que já é considerada uma das maiores da história.

Mais conteúdo sobre:
tênis Serena Williams

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.