Instagram.com/oympiaohanian
Instagram.com/oympiaohanian

Serena Williams revela sustos e complicações pós-parto

Tenista norte-americana deu à luz há quatro meses e passou por alguns problemas

Estadão Conteúdo

10 Janeiro 2018 | 18h26

Quatro meses após dar à luz a sua primeira filha, a tenista Serena Williams revelou nesta quarta-feira que passou por sustos e complicações após o parto, ocorrido no dia 1º de setembro do ano passado. A norte-americana precisou passar por outros procedimentos cirúrgicos, depois do nascimento de Alexis Olympia Ohanian Jr., por conta de coágulos em seu pulmão.

+ Diretor do Rio Open admite dor de cabeça para definir convites

+ Rio Open adia sonho de Masters 1000 e foca em mudança de piso

Em entrevista à revista Vogue, ela contou que passou as seis semanas seguintes ao parto sem conseguir sair da cama. As complicações, segundo a atleta de 36 anos, começaram no dia seguinte ao nascimento. Sem tomar seus medicamentos usuais para evitar coágulos no sangue, em razão do parto, ela sofreu forte mal-estar, o que exigiu exames e novos procedimentos.

O início de embolia pulmonar, que pode colocar a vida do paciente em risco, deixou a tenista com muita tosse. E uma das crises de tosse abriu o corte da cesariana, gerando rápida hemorragia em seu abdome. Os médicos precisaram fazer nova cirurgia para drenar o sangue e fechar a ferida. Por consequência, elas passou as semanas seguintes ao parto sem poder sair da cama.

Serena tomava remédios para evitar os coágulos desde 2010, quando sofreu cortes no pé e sofreu complicações, como a presença de coágulos no pulmão. A sequência de problemas de saúde afastou a tenista das quadras por dez meses na época.

OBJETIVOS NO CIRCUITO

Serena ainda não voltou a competir oficialmente, mas já tem novas metas no circuito. Com 23 títulos de Grand Slam, seu grande objetivo agora é alcançar a marca de 25. Superaria, assim, o recorde de 25 conquistas, que pertence à australiana Margaret Court.

Segundo ela, a meta tem o apoio total do técnico Patrick Mouratoglou. "Lembro de como eu fiquei ansiosa para chegar ao número 18 para me igualar a Chris [Evert] e Martina [Navratilova]. Eu perdi em todos os Grand Slam de 2014, estava no US Open e Patrick, meu treinador, disse: 'Serena, isso não faz sentido. Você está tão estressada pelo 18º Slam. Por que não 30? Por que não 40?", contou a tenista à Vogue.

"Para mim, isso deu clique. Ganhei o 18º, o 19º e 20º imediatamente depois. Por que eu gostaria de me igualar a alguém quando eu posso me destacar sozinha?", disse a tenista, que já é considerada uma das maiores da história.

Mais conteúdo sobre:
tênis Serena Williams

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.