Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Sérvio supera jovem canadense no Rio Open e fatura 1º título de ATP

Laslo Djere levanta troféu com vitória por 2 sets a 0 sobre Felix Auger-Aliassime

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

24 de fevereiro de 2019 | 20h32

Foi uma final inesperada. Longe da lista de favoritos do Rio Open, o sérvio Laslo Djere e o canadense Felix Auger-Aliassime eram desconhecidos do público e ainda não exibem um currículo de respeito, mas acabaram fazendo um bom duelo na decisão do maior torneio do Brasil, no saibro do Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. E Djere levou a melhor neste domingo ao derrubar o talento precoce do rival de 18 anos pelo placar de 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/5, em duas horas de partida.

Numa decisão que contava com estreantes em uma final deste nível, Djere fez valer a maior experiência e a confiança em alta para faturar seu primeiro título de nível ATP. E logo num torneio ATP 500, o que vai lhe valer um salto no ranking. O atual 90º do mundo deve aparecer no 37º posto nesta segunda-feira em sua melhor posição da carreira. Mesmo derrotado na final, Aliassime trocará o 104º pelo 59º posto da ATP, em sua melhor performance no ranking.

O começo da final foi marcado pelo nervosismo de ambos os jogadores. Djere, de 23 anos, e Aliasssime, de 18, alternaram duas quebras de saque nos primeiros games. O sérvio obteve uma a mais e abriu vantagem. O canadense, que terminou o jogo com nove duplas faltas, oscilou no serviço e acabou sofrendo outra quebra, permitindo ao rival fechar o primeiro set.

No intervalo entre os dois primeiros sets, Djere recebeu atendimento médico, mas parecia exibir bom físico para a sequência do jogo. Tomou um remédio e foi para a segunda parcial.

Depois da irregularidade exibida na primeira parcial, o jovem canadense começou melhor o segundo set. E parecia disposto a reverter o placar ao iniciar com uma quebra. Abriu 3/1 no placar e exibia confiança. Mas logo o cansaço bateu e a falta de costume em disputar jogos deste nível em série - ele nunca havia alcançado a semifinal de um torneio ATP - ficou evidente.

Para piorar, o forte calor e a alta umidade afetavam ainda mais o físico do canadense. Djere percebeu a queda do rival e passou a ser mais agressivo. Com uma quebra, virou o placar para 4/3. E Aliassime passou a sofrer para confirmar seus games de serviço. Até que, no 12º game, a pressão aumentou e o canadense precisou salvar quatro match points. No quinto, o sérvio não perdoou e sacramentou o triunfo.

A vitória coroou a grande campanha do sérvio numa edição do Rio Open desfalcada de grandes nomes e com os favoritos eliminados logo na primeira rodada. Djere foi justamente um destes algozes ao eliminar o austríaco Dominic Thiem, número 8 do mundo e maior candidato ao troféu. Depois derrotou promessas do circuito, como o norueguês Casper Ruud.

A dura sequência de jogos não foi o único obstáculo do campeão no Rio. Na véspera da final, ele revelou problemas familiares à imprensa. Sua mãe foi diagnosticada com câncer quando o tenista tinha 15 anos e acabou morrendo dois anos depois. Em dezembro de 2018, seu pai também faleceu por causa da doença.

"Infelizmente, eles não puderam estar aqui hoje", disse o sérvio, com o troféus em mãos. "Foi a semana dos meus sonhos. Tantas coisas foram conquistadas aqui. Estou muito feliz, empolgado e emocionado agora. Consegui me manter concentrado durante todo o jogo e este jogo foi um desafio mental e físico para mim."

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRio OpenLaslo Djere

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.