Shahar Peer ignora protestos e arrasa rival em Auckland

Grupo de apoio à Palestina pediu a saída da tenista israelense, de 22 anos, da competição na Nova Zelândia

AE, Agencia Estado

06 de janeiro de 2010 | 09h29

A tenista israelense Shahar Peer foi mais uma vez alvo de manifestantes durante o Torneio de Auckland. Enquanto ela enfrentava a eslovaca Magdalena Rybarikova, um grupo de apoio à Palestina pedia sua saída da competição.

Sem mostrar-se abalada com os protestos, Peer arrasou a rival e venceu por 6/1 e 6/0, após 1h06min de disputa. Um dos manifestantes foi preso pela polícia da Nova Zelândia ainda na quadra.

"Foi realmente muito ruim. Ontem aconteceu a mesma coisa, mas foi um pouco melhor. Hoje estava muito mais forte. Acho que as pessoas sabiam exatamente onde ficar para que eu pudesse ouvir o que elas diziam. Foi algo contínuo", disse Peer, de 22 anos, que ocupa a 30.ª posição no ranking mundial.

A vitória sobre Rybarikova levou a israelense às quartas de final da competição, onde ela enfrentará a russa Maria Kirilenko, que superou a estoniana Kaia Kanepi em dois sets, com 6/2 e 6/3.

A principal favorita ao título em Auckland é a italiana Flavia Pennetta, 12.ª no ranking da WTA. Nesta quarta-feira, ela também garantiu vaga nas quartas de final, ao vencer a espanhola Carla Suárez Navarro, com duplo 6/2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.