Sharapova é novamente envolvida em polêmica na Fed Cup

Empresário da tenista estaria com medo de um confronto com os Estados Unidos; negócios estariam em jogo

Efe

10 de janeiro de 2008 | 18h40

O empresário da russa Maria Sharapova, Max Eisenbud, pediu a dispensa da tenista na disputa das semifinais da Fed Cup, em 26 e 27 de abril, caso seu país enfrente os Estados Unidos. Segundo o jornal Sport-Express, Eisenbud - representante da tenista na empresa IMG - teve seu pedido aceito pelo capitão da equipe e presidente da Federação Russa de Tênis, Shamil Tarpischev. Porém, Tarpischev disse que tomará a decisão definitiva apenas após o confronto com Israel, pela primeira rodada, nos dias 2 e 3 de fevereiro. A equipe viaja a Ramat Sharon, em território israelense, dias depois do fim do Aberto de Austrália. O representante de Sharapova alega que a tenista estará em plena preparação para Roland Garros, cujo início está marcado para o dia 26 de maio. Na última edição da Fed Cup, vencida pela Rússia, autoridades do país acusaram Sharapova de não querer enfrentar os Estados Unidos, pelas semifinais, para não prejudicar seus interesses comerciais no país. Se entrar em quadra contra Israel, Sharapova fará sua estréia pela Rússia em confrontos da Fed Cup.Em dezembro, Tarpischev disse que Sharapova era nome certo para a série, argumentando que chegou a um acordo com o pai da tenista, Yuri Sharapov. Previamente, o próprio Tarpischev tinha assegurado que Sharapova adaptaria seu calendário em 2008 e desistiria de diversos torneios para disputar a Fed Cup por seu país, o que lhe permitiria participar dos Jogos Olímpicos de Pequim - condição impreterível.Em outubro do ano passado, Sharapova lamentou não ter jogado pela Rússia devido a uma lesão no ombro direito. Mesmo sem a tenista, o tênis russo faturou a competição em 2004, 2005 e 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.