Sharapova e Serena revivem Wimbledon

Na final de Wimbledon do ano passado, um tablóide inglês, sem muito bom gosto ou sutileza, apresentou o jogo de Maria Sharapova e Serena Williams como o da "Bela e a Fera". Na ocasião, o que foi definido como bela, conquistou o título e a partir de então, Sharapova iniciou uma série de boas vitórias. Agora, vai enfrentar novamente a norte-americana, por uma vaga na final do Aberto da Austrália.Sob sol forte e um calor de 33 graus centígrados, Sharapova ganhou de Svetlana Kuznetsova, por 4-6, 6-2 e 6-2, no que ela própria definiu como uma das mais difíceis vitórias de sua carreira. Esguia, magra e com tom claro de pele, a conhecida beldade russa parecia exausta após a partida. Estava realmente abatida. "Acho que preciso de uma cadeira de rodas para deixar a quadra", disse após 2h17 de jogo.Serena Williams teve momentos mais tranqüilos. Favorecida pela falta de condições físicas de Amelie Mauresmo, que dizia estar sentindo uma contusão, a norte-americana venceu em dois tranqüilos sets, parciais de 6-2 e 6-2.Depois do jogo, sua preocupação era defender-se das insinuações que as Williams estão em declínio, assunto em alta depois da eliminação de Venus por Alicia Molik. "Nós duas passamos por sérios problemas físicos. Somos uma família muito, muito, muito, muito, muito unida e sofremos bastante com o que passamos em casa - referia-se ao assassinato da irmã mais velha, Yetunde Price, ocorrido em setembro passado em Los Angeles -. Estamos treinando muito para voltar ao melhor e não acho justo este tipo de insinuação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.