Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Sharapova: "meu objetivo é ser número 1"

A pouco mais de um mês de completar 18 anos (nasceu em 19 de abril de 1987), Maria Sharapova já escolheu o seu presente de aniversário. Quer ser a nova número 1 do tênis mundial. Atual 3.ª colocada no ranking da WTA, desde sua conquista em Wimbledon, ano passado, transformou-se na estrela mais viva e brilhante do tênis feminino. Em Indian Wells, passou fácil pela primeira rodada, ao superar a norte-americana Angela Haynes por 6/1 e 6/2 em apenas 68 minutos, mas logo a seguir "enfrentou" uma bem mais exigente e concorrida coletiva. Suas entrevistas são um evento à parte, de uma celebridade com inúmeras atividades extra quadra e onde a presença de seus agentes na sala é controvertida, observando cada pergunta e orientando respostas. Para que todo cuidado é pouco quando o assunto é Sharapova. Ela é uma máquina de fazer dinheiro. Só na temporada passada, de Wimbledon (disputado em julho) até o final do ano, faturou mais de US$ 2,5 milhões em prêmios, fora os contratos milionários de publicidade, como os das câmeras Canon, em que suas belas fotos, com ou sem raquetes, ilustram painéis promocionais. Toda atividade extra quadra não tira, porém, o foco de Sharapova - "tenho um time completo e numeroso", disse. "Quando começo a sair um pouco do caminho, podendo prejudicar minha carreira, logo sou recolocada de volta." Assim, a bela Maria pode brilhar onde mais gosta e tornou-se famosa, os torneios. Sem receios e com lucidez, consciência e razão, a tenista russa já fala em ser número 1. "Não é uma coisa que eu sonhe todas às noites. Mas adoraria ser número 1. Este é o meu objetivo". Sharapova mostra também não estar obsessiva nesse pensamento. Sabe que a transformação em número 1 do mundo é um processo quase natural e até fala, com certa poesia, sobre sua situação. "Queria estar entre as 20. Depois de ter alcançado esse objetivo, quero ser a número 1. Mas sem obsessão. Vejo que é como atirar para a lua. Se errar, sei que ainda vou estar entre as estrelas." Na verdade, Sharapova é que está na mira das adversárias, como ela mesmo diz. "Como número 3, poucas vezes enfrento alguém à minha frente. Por isso, minhas oponentes estão sempre jogando soltas, sem responsabilidade. Tenho de estar preparada para isso.Preciso estar pronta para vencer qualquer jogo. É parte do processo para me transformar em número 1." Na próxima rodada em Indian Wells, Maria Sharapova terá um duro teste pela frente. Enfrenta a também russa Dinara Safina, irmã mais nova do bombástico Marat Safin. Aula de Agassi - Aos 34 anos, Andre Agassi não deixa dúvidas de sua eficiência. Deu uma verdadeira aula de tênis no grande sacador, o australiano Wayne Arthurs, ao vencê-lo por 6/4 e 6/1. Enquanto isso, o impetuoso Andy Roddick sofreu muito mais do que se esperava para superar o espanhol Fernando Verdasco. Precisou de três sets, um deles no tie break, para avançar na competição, com parciais de 6/3, 3/6 e 7/6 (7/2). Os resultados dos principais tenistas foram estes: Guillermo Coria (ARG) ganhou de Kevin Kim (EUA), por 7/6(2) e 7/6(3); Tim Henman (GBR) de Arnaud Clement (FRA), por 4/6, 6/4 e 6/3; David Nalbandian (ARG) de Juan Monaco (ARG) por 6/2 e 6/1; Tommy Robredo (ESP) de Gael Monfils (FRA) por 6/3 e 6/1; James Blake (EUA) de Nikolay Davydenko (RUS) por 6/3 e 7/6 (8/6) Fernando Gonzalez (CHI) de Greg Rusedski (GBR) por 7/6(4) e 7/6(5); Thomas Enqvist (SUE) de Mikhail Youzhny (RUS) por 6/4 e 6/1; Jonas Bjorkman (SUE) de Thomas Johansson (SUE) por 4/6, 6/3 e 7/ 6(6); Nicolas Kiefer (ALE) de Sargis Sargsian (ARM) por 6/0 e 6/0; Paradorn Srichaphan (THA) de Agustin Calleri (ARG) por 7/5 e 6/4. No feminino Lindsay Davenport (EUA) ganhou de Sesil Karatantcheva (BUL) por 6/3 e 6/2; Maria Sharapova (RUS) de Angela Haynes (EUA) por 6/1 e 6/2; Nadia Petrova (RUS) de Antonella Serra Zanetti (ITA) por 6/0 6/1; Nathalie Dechy (FRA) de Emilie Loit (FR A), 6/2 4/6 6/3; Jill Craybas (EUA) de Elena Likhovtseva (RUS) por 6/1 e 6/4; Nicole Vaidisova (TCH) de Karolina Sprem (CRO) por 6/1, 3/6 e 6/1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.