Ronald Wittek/EFE
Ronald Wittek/EFE

Sharapova perde para francesa e cai na semifinal em seu 1º torneio após retorno

Tenista russa disputava torneio de Stuttgart, mas cai para Kristina Mladenovic por 2 sets a 1

Estadão Conteudo

29 de abril de 2017 | 14h10

A russa Maria Sharapova sonhava com uma volta épica e o título no Torneio de Stuttgart, mas sua trajetória no saibro alemão terminou neste sábado. A ex-número 1 do mundo perdeu nas semifinais da competição para a francesa Kristina Mladenovic por 2 sets a 1, de virada, com parciais de 3/6, 7/5 e 6/4.

Em seu retorno após uma longa punição, Sharapova não foi páreo para a número 19 do mundo, que levou a melhor em pouco mais de duas horas e meia de partida. Agora, Mladenovic espera sua adversária na decisão, que sairá do confronto entre a romena Simona Halep, quarta cabeça de chave e a alemã Laura Siegemund.

Apesar da queda, Sharapova teve todas as chances para levar a melhor neste sábado. A russa viu Mladenovic em dia pouco inspirado no serviço - cometeu 11 duplas faltas - e soube atacá-la para ter incríveis 16 oportunidades de quebra, mas aproveitou somente três. Por outro lado, a francesa confirmou quatro dos break points que conquistou para fechar o duelo.

Dona de cinco títulos de Grand Slam, Sharapova voltou ao circuito na quarta-feira após cumprir suspensão por doping. A punição inicial era de dois anos, mas ela obteve a redução na Corte Arbitral do Esporte (CAS) no ano passado. Ela fora punida por ter sido flagrada com Meldonium em sua amostra colhida no Aberto da Austrália de 2016.

A substância havia acabado de entrar na lista de proibição da Agencia Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) e Sharapova, assim como vários outros atletas da Rússia flagrados com a substância, foi punida. Neste período de 15 meses, a tenista russa ficou totalmente afastada das competições.

Para voltar ao circuito já disputando um torneio de médio porte, Sharapova precisou de um convite. Isso porque ela perdeu todos os seus pontos na WTA e não conseguiria jogar as principais competições do circuito sem ao menos tentar entrar no qualifying. Assim, precisou pedir convites da organização para voltar a jogar, tanto em Stuttgart quanto em Roma e Madri, competições que acontecerão nas próximas semanas.

O "wild card" em Stuttgart gerou polêmica no circuito porque o principal patrocinador do torneio alemão, a Porsche, também é um dos principais apoiadores individuais da tenista. Com a presença Sharapova, tenistas alemãs perderam a chance de entrar direto na chave principal porque, via de regra, os convites são distribuídos para atletas da casa de nível juvenil ou para aquelas que já obtiveram bons resultados mas apresentam ranking baixo em razão de lesões ou problemas de saúde.

Outra crítica interna no circuito feminino foi a que o convite teria causado mudanças na programação do Torneio de Stuttgart para adequar o primeiro jogo de Sharapova ao fim de sua punição. Ela só poderia estrear nesta quarta. Antes disso, não pôde treinar nas quadras auxiliares e nem frequentar as instalações da competição alemã.

Tudo o que sabemos sobre:
TênistênisMaria Sharapova

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.