Daniel Leal-Olivas/AFP
Daniel Leal-Olivas/AFP

Soares lamenta queda nas quartas em Wimbledon: 'Foi de cortar o coração'

Jogando ao lado de Jamie Murray, brasileiros foi derrotado por dupla formada por sul-africano e neozelandês

Estadão Conteúdo

10 Julho 2018 | 19h02

O tenista brasileiro Bruno Soares lamentou nesta terça-feira a queda nas quartas de final da chave de duplas de Wimbledon. Ele e o escocês Jamie Murray foram eliminados num grande duelo, de cinco sets, contra o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus. Eles fecharam o jogo pelo placar de 6/7 (5/7), 7/6 (7/5), 5/7, 7/6 (7/4) e 6/4.

+ Serena vira sobre italiana e pegará alemã Görges na semifinal em Wimbledon

+ Del Potro bate francês e enfrentará Nadal nas quartas de final de Wimbledon

Num duelo marcado pelo equilíbrio, Soares e Murray estiveram melhor em momentos importantes, mas não aproveitaram suas chances, principalmente no segundo e no quarto sets. No quinto, saíram com uma quebra atrás, devolveram, porém, na hora de empatar o duelo, vacilaram e levaram quebra decisiva.

"Foi mais umas quartas de cortar o coração aqui", lamentou Soares, que caiu numa quartas de final de Wimbledon pela quinta vez na carreira - ele nunca passou desta fase na grama londrina. "Estava um dia de gala, num cenário perfeito na quadra central. A gente estava jogando super bem e acho que o jogo modificou a dinâmica quando sacamos para o segundo set e perdemos o saque", analisou.

"Se a gente fizesse dois sets a zero, seria muito difícil a gente perder. No fim das contas foi um bom torneio chegar às quartas, mas com gosto extremamente amargo. Assim é o esporte. Não dá para se lamentar muito. Tenho que descansar o que der e ficar pronto para a dupla mista amanhã", disse o brasileiro.

Nesta quarta-feira, ele volta à quadra para sua segunda partida na chave de duplas mistas, ao lado da russa Ekaterina Makarova. Eles vão enfrentar os norte-americanos Jack Sock e Sloane Stephens.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.