Soderling domina jogo e elimina Bellucci em Wimbledon

A boa campanha de Thomaz Bellucci no Torneio de Wimbledon, o terceiro Grand Slam da temporada, acabou neste sábado. Totalmente dominado em quadra, o brasileiro foi derrotado pelo sueco Robin Soderling por 3 sets a 0 - com parciais de 6/4, 6/2 e 7/5, em 1 hora e 54 minutos -, em partida válida pela terceira rodada da competição disputada em quadras de grama.

AE, Agência Estado

26 de junho de 2010 | 11h48

Cabeça de chave número 6 em Londres, Soderling já sabe quem terá pela frente na luta por um lugar nas quartas de final. Na próxima segunda-feira, o sueco jogará contra o espanhol David Ferrer, que teve enormes dificuldades para ganhar do francês Jerome Chardy por 3 sets a 2 - com parciais de 7/5, 6/3, 4/6, 3/6 e 7/5.

Contra o atual vice-campeão de Roland Garros - perdeu a final para o espanhol Rafael Nadal -, Bellucci iniciou a partida de forma mais agressiva e buscava seus pontos no saque/voleio quando não obtinha o ace no primeiro serviço. No entanto, não ameaçou quando o sueco sacava e, na primeira oportunidade de quebra que teve, Soderling ganhou o primeiro set por 6/4.

Na segunda parcial, o brasileiro foi amplamente dominado e viu o tenista europeu quebrar duas vezes o seu serviço. No terceiro set, Bellucci retomou a concentração e lutou por cada ponto disputado, chegando até a jogar a raquete várias vezes ao chão quando cometia algum erro não forçado. No 11.º game, com a partida empatada em 5/5, o brasileiro teve três chances de quebra - as únicas em todo o jogo -, mas não conseguiu ter êxito. Soderling aproveitou um descuido de Bellucci no game seguinte e fechou o duelo em 7/5.

A campanha em Wimbledon, a melhor do brasileiro no Grand Slam inglês, deve lhe render uma melhora no ranking mundial da ATP. Atual número 24, Bellucci pode ganhar até duas posições dependendo do andamento da competição.

Com a eliminação, Thomaz Bellucci retorna ao Brasil para um período de readaptação ao saibro, já que disputará dois torneios em sequência, na Europa, em julho. O primeiro será o Torneio de Hamburgo, na Alemanha, que vale 500 pontos ao campeão. Depois, o maior desafio, já que defenderá em Gstaad, na Suíça, os pontos do título obtido no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.