Suecos querem piso rápido na Davis

Como já era mesmo de se esperar, a Suécia confirmou que o piso escolhido para o confronto diante do Brasil será mesmo em carpete, da marca francesa Taraflex, em ginásio, condições que podem ser consideradas uma boa armadilha para os brasileiros, que se sentem muito mais confortáveis no saibro. Os jogos serão de 7 a 9 de fevereiro, na cidade de Helsinborg, ao sul do país, quase fronteira com a Dinamarca, e serão válidos pela primeira rodada do Grupo Mundial de 2003. O time vencedor estará garantido por mais um ano na elite da competição, enquanto o perdedor tem de disputar a repescagem."Nossos jogadores já estão bem mais acostumados a este piso, participando de vários torneios europeus", disse com otimismo o técnico e capitão do Brasil, Ricardo Acioly. "É óbvio que o favoritismo é dos suecos, mas acho que podemos surpreender." A Suécia não inventou fórmulas para este confronto. Em pleno inverno europeu colocou mesmo os jogos em ginásio e utiliza condições idênticas a vários torneios da temporada indoor, com piso Taraflex e bolinhas Penn ATP Tour, de velocidade média, justamente para não deixar o jogo exageradamente rápido sobre o carpete.Acioly só planeja anunciar o time brasileiro depois de acompanhar o desempenho dos jogadores no Aberto da Austrália, em janeiro. Também não se espera novidades, devendo ter Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni, André Sá e Flávio Saretta. A Suécia vive com problemas de contusões e só mesmo na Austrália poderá se confirmar o time com Thomas Johansson - campeão do Australian Open este ano - e Thomas Enqvist prováveis titulares para as partidas de simples e Jonas Bjormann na dupla.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.