Francois Lo Presti/AFP
Francois Lo Presti/AFP

Suíça abre vantagem sobre a França na final da Copa Davis

Federer e Wawrinka derrotam Julien Benneteau e Richard Gasquet nas duplas por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 7/5 e 6/4

Estadão Conteúdo

22 de novembro de 2014 | 15h12

A Suíça precisa agora apenas de uma vitória, nos dois jogos deste domingo em Lille, para conquistar o inédito título da Copa Davis. A equipe suíça resolveu escalar força máxima neste sábado, com Roger Federer e Stanislas Wawrinka, para ganhar dos tenistas franceses Julien Benneteau e Richard Gasquet nas duplas e abrir 2 a 1 na final do torneio.

Marco Chiudinelli e Michael Lammer estavam inicialmente escalados para defender a Suíça no jogo de duplas deste sábado. Havia a expectativa, porém, de que Wawrinka substituísse o segundo. Em condições normais, Federer também entraria em quadra, mas sua participação não era esperada, já que ele vem sofrendo durante a semana com dores nas costas.

A própria participação de Federer na final da Davis estava ameaçada, depois que ele não teve condições de enfrentar o sérvio Novak Djokovic na decisão do título do ATP Finals, domingo passado, em Londres, por causa das dores nas costas. Mas, jogando no sacrifício, o número 2 do mundo entrou em quadra na sexta-feira e repetiu a dose neste sábado.

Na sexta-feira, Federer foi derrotado por Gael Monfils por 3 sets a 0. Mas, como Wawrinka tinha vencido Jo-Wilfried Tsonga por 3 a 1, os dois finalistas terminaram o primeiro dia do confronto empatados. Neste sábado, então, a Suíça veio com força máxima para abrir vantagem. E teve sucesso, ao fazer 3 a 0, com parciais de 6/3, 7/5 e 6/4.

Diante de Benneteau e Gasquet, os dois tenistas suíços mostraram sintonia e construíram a vitória deste sábado em 2 horas e 12 minutos. Assim, acabaram definitivamente com os rumores de que estariam brigados, depois da discussão que tiveram no confronto direto no ATP Finals, quando Wawrinka reclamou da torcida feita pela esposa de Federer.

Agora, portanto, Federer pode dar o ponto decisivo para a Suíça e, assim, conquistar o único grande título que lhe falta na carreira. Neste domingo, ele faz o primeiro jogo do dia no confronto, diante de Tsonga, tenista que ocupa o 12º lugar no ranking. Em caso de vitória francesa, a definição do campeão vai para a quinta e última partida.

Aí, será a vez do duelo entre Wawrinka, atualmente número 4 do mundo, e Monfils, que ocupa a 19ª posição do ranking. Jogando em casa, diante de um público recorde na quadra de saibro montada em Lille - são mais de 27 mil pessoas por dia -, a França precisa agora de duas vitórias neste domingo para chegar ao seu 10º título na Copa Davis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.