(John G. Mabanglo/EFE)
(John G. Mabanglo/EFE)

Swiatek supera Sakkari na decisão de Indian Wells e será número 2 do mundo

Tenista polonesa de 20 anos bate rival grega por 6/4 e 6/1 e ergue troféu de torneio norte-americano

Redação, Estadão Conteúdo

20 de março de 2022 | 19h59

A jovem polonesa Iga Swiatek, de somente 20 anos, é a grande campeã do Masters 1000 de Indian Wells. Neste domingo, a cabeça de chave número 3 não deu chances para a grega Maria Sakkari, vencendo por 6/4 e 6/1 a decisão no deserto da Califórnia. O título a levará para o segundo lugar do ranking da WTA.

Fazendo um ano brilhante, Swiatek conquistou seu segundo título de Masters 1000 no ano - já havia erguido o troféu em Doha, ganhando justamente de Sakkari na final - e se consolida como a melhor tenista de 2022. Ela se torna a primeira polonesa a ganhar em Indian Wells e voltará o colocar seu país em segundo no ranking após 10 anos. Agnieszka Radwanska figurou na posição em 2012.

"É muito louco. Eu não esperava estar neste lugar, especialmente depois de jogar tão bem nos meus torneios anteriores. Eu não sabia que era possível jogar tão bem por tanto tempo", afirmou a polonesa, que fez enorme festa no fim da partida e jogou munhequeiras e bolinhas para a torcida.

Depois de perder três vezes seguidas para a grega em 2021, ela equilibra o confronto ao superar a rival em duas decisões seguidas de Masters 1000. "Hoje (domingo) foi muito louco por causa das condições", disse Swiatek, que vem de 11 vitórias seguidas no ano. "Eu estava conversando com meu treinador e dizia que, talvez, em alguns anos eu aprenderia como jogar aqui e como me ajustar às condições." Parece ter aprendido antes do previsto.

Na decisão, as tenistas não esconderam toda a tensão no início, com quatro serviços quebrados em sequência. A polonesa confirmou e com nova quebra fez 4 a 2. Mas acabou perdendo o serviço a seguir e depois cedeu o 4 a 4. Abriu 5 a 4 e fechou em 6/4 quebrando pela quarta vez no set.

No segundo set, a polonesa mostrou todo seu repertório para fazer a festa em Indian Wells. Quebrou nos games 4 e 6 e fechou em 6/1 após 1h21 no primeiro match point que teve.

"Mesmo que hoje não tenha sido o meu dia, este torneio terá um lugar muito especial no meu coração", observou Sakkari, que subirá para o terceiro lugar do ranking nesta segunda-feira ao chegar à final, igualando a marca de seu compatriota Stefanos Tsitsipas como os melhores gregos na história do tênis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.