Rick Rycroft/AP
Rick Rycroft/AP

Temperaturas na casa dos 40ºC fazem vítimas no Aberto da Austrália

Calor derruba tenistas e até pegadores de bola no primeiro Grand Slam do ano

O Estado de S. Paulo

16 de janeiro de 2014 | 05h02

MELBOURNE - Algumas nuvens e um pouco de vento impediram que o pico de temperatura registrado terça-feira nas quadras do Melbourne Park, de 42,2 graus, se repetisse nesta quarta-feira, mas esse quadro não significou alívio para o croata Ivan Dodig, que se tornou o décimo jogador a desistir do Aberto da Austrália nos três primeiros dias do torneio. "Depois de 30 minutos de jogo eu não podia mais andar. Cheguei a pensar que poderia até morrer aqui."

A terça-feira registrou episódios mais dramáticos. Na partida entre o canadense Milos Raonic e o espanhol Daniel Gimeno-Traver, um pegador de bolas desmaiou. Outro canadense, Frank Dancevic, também desmaiou em quadra. "É desumano. Não é justo com os jogadores, fãs e esporte. Joguei partidas de cinco sets durante minha vida toda, mas aqui, após um set e meio, sentimos taquicardia."

A chinesa Peng Shuai chegou a vomitar antes de perder para a japonesa Kumuri Nara. "Eu não tinha energia, não conseguia correr, não conseguia sacar. É impossível jogar tênis nestas condições", disse. O solado do tênis de Jo-Wilfried Tsonga chegou a colar na quadra em sua estreia.

A organização decidiu não interromper a programação de jogos, alegando que a umidade não estava alta - as elevadas temperaturas associadas à alta umidade é que poderiam invocar a implementação das "medidas de emergência em situação de calor extremo".

"Houve apenas dois chamados de quadra de atendimento médico relacionados ao calor e nenhum deles originou uma intervenção", disse Tim Wood, um dos médicos do torneio. "É fácil dizer que as condições são seguras , mas basta uma coisa ruim acontecer para que isso seja reavaliado. Temos de ser cautelosos hoje em dia, basta lembrarmos casos de ataques cardíacos em outros esportes", alertou Andy Murray.

Para quem tem categoria de sobra, o jeito é despachar os adversários rapidamente, como vem fazendo Serena Williams a fim de voltar o mais rápido possível ao ar condicionado de seu quarto. Mas a número 1 do mundo revelou que está obcecada com o calor. "Eu fiquei acordando no meio da noite passada, paranoica. Só queria me manter hidratada, bebendo uma quantidade enorme de água."

Serena se livrou da sérvia Vesna Dolonc em 63 minutos, com placar de 6/1 e 6/2. Coisa parecida fez Novak Djokovic, que despachou o argentino Leonardo Meyer por 3 a 0. No torneio de duplas, o mineiro Bruno Soares e o austríaco Alexander Peya bateram o também brasileiro André Sá e Feliciano López por duplo 6/4.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisAberto da Austrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.