Tênis é esquecido na briga política

Na briga política pelo poder da Confederação Brasileira de Tênis, entre liminares, cassações, ações, o tênis acabou ficando para segundo plano. Das duas assembléias programadas para esta quarta-feira no Clube Sírio, em São Paulo, apenas a extraordinária foi realizada e sua pauta estava esvaziada pelo fato de o atual presidente da entidade, Nelson Nastas, ter em mãos uma decisão da 33ª Vara Cível, que julgou improcedente o processo movido pela Federação Catarinense, liderada por Jorge Lacerda, que pedia revisão nas costas de 2002. Sem tempo para a realização da assembléia ordinária, as contas deste ano e todos os outros assuntos em pauta deverão ser discutidos apenas para o próximo ano. A única resolução tomada no dia foi a criação de uma comissão para adequar o atual estatuto da CBT às normas do atual Código Civil. Com isso, as brigas devem continuar nos bastidores, com o bloco de oposição buscando esclarecimentos, enquanto a situação segue no comando da entidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.