Tênis: tribunal define futuro de Puerta

Uma das atrações do Desafio Internacional de Tênis, em Copacabana, ao lado de Gustavo Kuerten, Anna Kournikova e Martina Hingis, o tenista argentino Mariano Puerta, vice-campeão de Roland Garros, terá amanhã um dia chave para seu futuro. O Tribunal da ITF (Federação Internacional de Tênis) irá anunciar em Londres o resultado do julgamento do tenista, acusado de doping durante o torneio de Roland Garros, conforme denuncia feita pelo diário esportivo francês L´Equipe. Se for confirmado a uso da substância etilefrine, que teria sido detectada após a final em que Puerta perdeu para Rafael Nadal, o jogador argentino será banido do esporte, pelo fato de ser reincidente. Em 2003 ficou suspenso por nove meses por ingestão do anabolizante clembuterol. Puerta, antes de viajar para o Rio, seguiu para Londres para acompanhar o julgamento. Voltou a negar o uso de qualquer droga proibida e acreditava que seus advogados poderiam provar sua inocência. Nos bastidores do circuito internacional corre inclusive um comentário de que o L´Equipe teria cometido um engano, já negado pelo diário esportivo, em Paris. Contam que havia chegado ao jornal esportivo francês a informação de que um tenista argentino chamado Mariano, jogando a segunda semana de Roland Garros, teria dado resultado positivo para substâncias proibidas. Os comentários dão conta que esse Mariano seria o duplista argentino Mariano Hood, um caso já confirmado de uso de finasteride, indicado para o tratamento de queda de cabelo, mas remédio proibido no esporte. Um possível equívoco já se desfaz pelo diferença de substâncias. A de Hood é finasteride e a de Puerta etilefrine.] No Desafio Internacional do Rio, Puerta só deve mesmo estrear na quinta-feira e caso o tenista argentino seja banido do esporte, a organização não anunciou ainda qualquer alteração. É possível que o argentino Juan Ignacio Chella fique como reserva.

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2005 | 17h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.