Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Issei Kato/Reuters
Issei Kato/Reuters

Australiano Nick Kyrgios anuncia que não vai disputar os Jogos de Tóquio

Tenista abandona evento por causa das restrições que impediram a presença de público e também por causa de uma lesão abdominal

Redação, Estadão Conteúdo

09 de julho de 2021 | 08h56

O tenista australiano Nick Kyrgios anunciou, nesta sexta-feira, que não vai disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio por causa das restrições que impediram a presença de público e também por causa de uma lesão, que o fez abandonar a disputa do Torneio de Wimbledon.

Kyrgios, de 26 anos, que alcançou a terceira rodada no tradicional Grand Slam londrino, mas teve de se retirar por causa de uma contusão abdominal, teria a oportunidade de representar a Austrália pela primeira vez em sua carreira.

"Trata-se de uma decisão tomada após muita reflexão. É um sonho poder representar a Austrália nos Jogos Olímpicos e sei que talvez não tenha uma outra oportunidade, mas também sei que não é do meu gosto atuar em um estádio sem público. Também não gostaria de tirar a chance de um outro tenista australiano que está bem fisicamente", disse Kyrgios por intermédio de um comunicado.

Por causa da pandemia, Kyrgios competiu apenas no Aberto da Austrália, em fevereiro, e depois em Wimbledon. O atleta vai voltar a jogar nas próximas semanas quando terão início os torneios em quadras duras nos Estados Unidos, que servirão de preparação para o US Open, último Grand Slam do ano, a ser disputado em Nova York.

Atual número 60 do mundo, Kyrgios já foi 13º e tem como resultados mais expressivos as quartas de final em Wimbledon (2014) e em Roland Garros (2015). Ele soma seis títulos e já acumulou mais de US$ 8,7 milhões (R$ 45,7 milhões), com 153 vitórias e 90 derrotas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.