Toby Melville/Reuters
Toby Melville/Reuters

Tenista brasileiro é suspenso provisoriamente por órgão anticorrupção

Diego Matos, de 30 anos, leva gancho após decisão de Richard McLaren, que denunciou o doping na Rússia

Estadão Conteúdo

09 de dezembro de 2018 | 19h18

A Unidade de Integridade do Tênis (TIU, na sigla em inglês) suspendeu neste domingo o tenista brasileiro Diego Matos, de 30 anos. Ele foi punido de forma provisória por supostamente quebrar as regras do programa de anticorrupção do tênis. A sanção tem efeito imediato, segundo a TIU.

A entidade não revelou detalhes sobre as causas da punição. Apenas revelou que há uma investigação em curso cujo alvo é o tenista gaúcho. A decisão de suspendê-lo provisoriamente foi do professor Richard McLaren, que lidera um escritório independente que cuida de casos de corrupção no esporte.

McLaren se tornou famoso nos últimos anos por liderar investigação independente da Agência Mundial Antidoping (Wada) que denunciou os diversos casos de doping no esporte russo, principalmente no atletismo e nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, em 2014.

De acordo com a TIU, o atleta está proibido de disputar competições ou participar de eventos oficiais reconhecidos pelas principais entidades do tênis mundial. A entidade é uma iniciativa da Federação Internacional de Tênis (responsável por organizar os torneios de Grand Slam do circuito), ATP e WTA.

Matos é o atual 1.270º do ranking de simples e o 247º nas duplas. Ele já ocupou o 580º posto da lista de simples da ATP, em 2012. Tem apenas um título de nível Future na carreira, obtido em 2011, em Jundiaí. O tenista vinha exibindo boas performances nas duplas, com quatro troféus de Futures neste ano.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
tênisDiego Matos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.