Mark Terril/AP
Mark Terril/AP

Tenista polonesa vai destinar premiação em dinheiro para instituição focada em saúde mental

Iga Swiatek, atual número 4 do mundo, decide doar o prêmio de U$ 51,8 mil (R$ 286,4 mil) conquistado em Indian Wells, no último domingo

Redação, Estadão Conteúdo

11 de outubro de 2021 | 15h19

A tenista polonesa, Iga Swiatek, atual número 4 do mundo, declarou que a premiação em dinheiro que recebeu por avançar na terceira rodada de Indian Wells vai ser destinada para instituições que tem, como foco, o serviço de cuidado à saúde mental. O valor doado será de U$51,8 mil (R$ 286,4 mil na cotação de hoje).

O anúncio foi feito em entrevista coletiva no último domingo, 10, quando Swiatek garantiu passagem para as oitavas de final da competição de tênis após vencer a russa Veronika Kudermetova por 2 sets a 0 (parciais de 6/1 e 6/0) pela terceira rodada do torneio, que está sendo disputado na Califórnia, Estados Unidos. 

A polonesa, campeã de Roland Garros no ano passado e cabeça de chave número 2 do torneio, afirmou que a decisão foi tomada durante a partida contra a russa, realizada na mesma data que celebra o Dia Mundial da Saúde Mental.

“Como é dia Dia Mundial da Saúde Mental, vou doar o meu prêmio da terceira rodada a uma instituição. A saúde mental sempre foi um assunto próximo a mim. Então, quero fazer, pela primeira vez, algo que ajude alguém”, afirmou a tenista que ainda não decidiu qual instituição vai ajudar.

A escolha, contudo, não será tomada sozinha ao que parece. Nas redes sociais, Iga Swiatek reforçou o recado sobre a doação e convidou os seguidores a sugerirem nomes de instituições nos comentários. “Você pode me ajudar a escolher uma instituição de caridade nos comentários. Depois do torneio, vou ler suas idéias com minha equipe e escolher uma iniciativa que vou apoiar. Com certeza, vou informá-los sobre isso, pois será nossa escolha conjunta.”

Saúde mental no tênis

A discussão sobre saúde mental na modalidade esquentou em maio deste ano, quando a tenista japonesa Naomi Osaka surpreendeu os fãs do tênis ao abandonar a disputa de Roland Garros. O motivo da desistência não foi uma lesão física, mas uma depressão que se iniciou após a atleta conquistar o título do US Open em 2018. 

Afastada das quadras, Osaka retornou às competições nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em agosto. A tenista foi a responsável por acender a pira olímpica na cerimônia de abertura, porém caiu na terceira rodada dos jogos. 

Recentemente, depois de ser eliminada no US Open, em setembro, Osaka voltou a falar abertamente sobre como se sentia emocionalmente na carreira. O desgaste mental a fez tomar a decisão de dar uma pausa das competições novamente. “Sinto que estou neste ponto em que estou tentando descobrir o que quero fazer. Honestamente, não sei quando vou jogar minha próxima partida de tênis”, disse. “Acho que vou dar uma pausa no jogo por um tempo”, afirmou a tenista que ainda não voltou às quadras.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Iga SwiatektênisNaomi Osaka

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.