Francis R. Malasig/Efe
Francis R. Malasig/Efe

Tenistas promovem jogo na Austrália para ajudar Haiti

Suíço Roger Federer comanda evento com os principais tenistas do mundo para arrecadar R$ 320 mil

AE, Agencia Estado

17 de janeiro de 2010 | 10h56

Em evento idealizado pelo suíço Roger Federer, grandes favoritos ao título do Aberto da Austrália disputaram um jogo beneficente neste domingo, em Melbourne, para angariar fundos destinados às vítimas do terremoto que atingiu o Haiti na terça-feira.

Rafael Nadal, Andy Roddick, Novak Djokovic, Lleyton Hewitt, Serena Williams, Kim Clijsters e Samantha Stosur abriram mão do último treino antes do início do Grand Slam, na noite deste domingo (horário de Brasília), para entrar em quadra no Melbourne Park.

Os 15 mil torcedores presentes no local pagaram apenas US$ 10 (R$ 17,70), uma fração do valor dos ingressos para os jogos do Grand Slam, para assistir às partidas de duplas. Foi arrecadado cerca de US$ 185 mil (R$ 320 mil) no evento, mas os organizadores esperam elevar a soma durante a competição.

Para os jogos, cada atleta entrou em quadra com um microfone sem fio para poder interagir com o público. Federer, Serena, Hewitt e Stosur formaram uma equipe, que enfrentou o time de Nadal, Djokovic, Roddick e Clijsters. Deixando a rivalidade de lado, eles jogaram partidas de duplas mistas, com direito a substituição durante o jogo.

Cada lance e cada brincadeira eram seguidos de comentários dos próprios atletas, divertindo o público nas arquibancadas. No final do único set do jogo, disputado em 1h30min, a equipe de Federer, chamada de time vermelho, venceu o time azul por 7/6. As cores foram escolhidas por causa da bandeira do Haiti. "Foi uma tarde divertida para todos nós. Mas o mais importante é poder ajudar o Haiti", declarou o suíço ao fim do evento.

Outros tenistas contribuíram com a tragédia do Haiti com doações em dinheiro. A russa Maria Sharapova, campeã na Austrália em 2008, doou US$ 10 mil (cerca de R$ 17 mil). O americano John Isner, que faturou o título do Torneio de Auckland no sábado, contribuiu com US$ 5 mil, mesma quantia anunciada pelo cipriota Marcos Baghadits, campeão em Sydney no mesmo dia.

País mais pobre das Américas, o Haiti foi atingido por um forte terremoto, de 7 graus na escala Richter, na noite de terça-feira. O tremor destruiu boa parte da frágil infraestrutura do país e pode ter causado até 200 mil mortes, na avaliação das autoridades. Até o momento, 40 mil vítimas já foram enterradas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.