Divulgação / CBT
Divulgação / CBT

Thiago Monteiro e Rogério Dutra Silva vencem e avançam no quali de Wimbledon

Brasileiros seguem na luta por vaga na chave principal do terceiro Grand Slam da temporada

Redação, Estadão Conteúdo

24 de junho de 2019 | 11h10

O tênis do Brasil começou bem a disputa de Wimbledon, o terceiro Grand Slam da temporada. Nesta segunda-feira, pela primeira rodada do qualifying do torneio disputado na grama, em Londres, o cearense Thiago Monteiro e o paulista Rogério Dutra Silva venceram as suas partidas de estreia e seguem na luta por vaga na chave principal - são necessárias três vitórias para esse objetivo -, que terá início na próxima segunda.

Cabeça de chave número 6 no qualifying e 115.º do ranking da ATP, Thiago Monteiro foi o primeiro dos dois a entrar em quadra nesta segunda-feira e precisou de dois tie-breaks para derrotar o italiano Roberto Marcora, atual 216 do mundo, por 2 sets a 0 - com parciais de 7/6 (7/5) e 7-6 (7/3), após 1 hora e 40 minutos de confronto.

Na sequência, Rogério Dutra Silva fez a sua estreia e também precisou de dois tie-breaks para vencer. O número 2 do Brasil e 223 do mundo ganhou do britânico Evan Hoyt, 501.º colocado da ATP, por 2 sets a 0 - com as parciais de 7/6 (12/10) e 7/6 (7/5), após 1 hora e 53 minutos.

Na segunda rodada, Thiago Monteiro terá pela frente o norte-americano Christopher Eubanks, que superou o italiano Luca Vanni em três sets - com parciais de 7/6 (11-9), 3/6 e 6/3. Rogério Dutra Silva vai duelar contra o francês Gregoire Barrere, 12.º pré-classificado do qualifying, que ganhou de virada do equatoriano Emilio Gómez por 2 a 1 - parciais de 4/6, 7/6 (7/5) e 6/2.

Além dos dois, o Brasil terá uma representante na chave feminina do qualifying. Ela será a paulista Beatriz Hadda Maia, atual número 121 do ranking da WTA. A sua adversária na estreia ainda será definida em um sorteio feito pela organização de Wimbledon.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.