Tannen Maury/EFE
Tannen Maury/EFE

Thiem, David Ferrer e John Isner vencem e avançam no Masters 1000 de Cincinnati

Torneio está desfalcado de muitos tenistas Top 10, que desistiram de jogar nesta semana alegando lesões

Estadao Conteudo

15 de agosto de 2017 | 23h46

Em um torneio em que a maioria dos Top 10 desistiram de jogar nesta semana alegando lesões, o austríaco Dominic Thiem, um dos favoritos ao título, estreou com uma boa vitória nesta terça-feira no Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos. Terceiro cabeça de chave e número 8 do mundo, precisou de somente 1 hora e 6 minutos para derrotar o italiano Fabio Fognini por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2.

Um fato curioso da partida pela segunda rodada - Dominic Thiem foi "bye" na primeira -, foi a paralisação de oito minutos por causa do mal estar de Fabio Fognini. Ainda no primeiro set, quando perdia por 4 a 3, o italiano passou mal e chegou a vomitar em quadra. Debilitado, o atual número 25 do mundo foi presa fácil para o tenista austríaco.

Na terceira rodada, equivalente às oitavas de final, Dominic Thiem enfrentará o vencedor do duelo entre o francês Adrian Mannarino e o norte-americano Sam Querrey, que jogarão pela segunda rodada nesta quarta-feira.

Também nesta terça-feira, dois dos principais sacadores do circuito profissional venceram já pela segunda rodada. Cabeça 14, o norte-americano John Isner ganhou do compatriota Tommy Paul com um duplo 6/3. O croata Ivo Karlovic fez 6/4 e 7/6 (9/7) no francês Jo-Wilfried Tsonga, o oitavo pré-classificado em Cincinnati.

Com mais dificuldades, o experiente David Ferrer passou na sua estreia pelo norte-americano Steve Johnson por 2 sets a 1 - com parciais de 6/1, 5/7 e 6/3. Também ganharam nesta terça-feira os espanhois Albert Ramos-Viñolas e Pablo Carreno Busta (cabeça 11), o japonês Yuichi Sugita, o norte-americano Jared Donaldson e o georgiano Nikoloz Basilashvili.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.