USTA
USTA

Thiem vence e encara Medvedev na semifinal do US Open; Azarenka enfrenta Serena

Tenista austríaco fez valer a maior experiência e a boa fase para vencer o australiano Alex de Minaur pelo placar de 3 sets a 0

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2020 | 01h00

Com mais facilidade que o esperado, o tenista austríaco Dominic Thiem fez valer a maior experiência e a boa fase para vencer o australiano Alex de Minaur pelo placar de 3 sets a 0, com parciais de 6/1, 6/2 e 6/4, em 2h04min, em Nova York. O triunfo desta quarta-feira garantiu ao principal cabeça de chave a vaga na semifinal do US Open.

O segundo pré-classificado dominou o rival, 21º cabeça de chave, com certa dificuldade ao longo de toda a partida. Mesmo na segunda parcial, Minaur deu trabalho ao favorito, que precisou disparar 43 bolas vencedoras ao longo da partida, contra apenas 17 do australiano.

Thiem terminou o jogo com sete break points, contra dois do adversário. Com o triunfo, o tenista de 27 anos avançou a sua sétima semifinal de Grand Slam na carreira. Em Nova York ele se tornou o principal cabeça de chave após a eliminação precoce do sérvio Novak Djokovic, que era o cabeça número um.

Em busca da sua primeira final do US Open, Thiem vai encarar o russo Daniil Medvedev, que é mais novo, mas já tem um vice-campeonato de Slam no currículo. Foi justamente no Major disputado em Nova York, no ano passado. Na ocasião, chegou a ter chances de vencer o espanhol Rafael Nadal. Nesta quarta, Medvedev despachou o compatriota Andrey Rublev por 3 a 0 e segue sem perder sets na competição.

A outra semifinal masculina terá o alemão Alexander Zverev, quinto cabeça de chave, e o espanhol Pablo Carreño Busta, 20º. As duas partidas estão marcadas para sexta-feira. A final masculina será no domingo.

Na chave feminina, a última semifinalista também foi conhecida nesta quarta. Trata-se da bielo-russa Victoria Azarenka, que fez grande exibição diante da belga Elise Mertens e chegou a aplicar um "pneu" na 16ª cabeça de chave: 6/1 e 6/0.

Em apenas 1h13min, a ex-número 1 do mundo disparou 21 bolas vencedoras e cometeu apenas 11 erros não forçados. Foram seis quebras de saque, contra apenas uma da belga, que vinha em bom momento na competição, mas não conseguiu resistir ao jogo fulminante de Azarenka nesta quarta.

No embalo do título do Torneio de Cincinnati, conquistado pouco antes do US Open, a bielo-russo já soma dez vitórias consecutivas. Com esta última, voltará a disputar uma semifinal de Grand Slam após sete anos. Dona de dois títulos do Aberto da Austrália, ela soma dois vices em Nova York, obtidos em 2012 e 2013.

Tentando voltar a uma final deste nível, a bielo-russa terá pela frente a local Serena Williams. No retrospecto direto, a americana leva ampla vantagem, com 18 vitórias, contra quatro de Azarenka.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.