Thomaz Bellucci derrota austríaco e avança às quartas de final do Brasil Open

Após vitória com parciais de 7/6 (7/4), 5/7 e 6/3, brasileiro vai enfrentar eslovaco Martin Klizan

Alessandro Lucchetti e Nathalia Garcia, Agência Estado

27 de fevereiro de 2014 | 22h41

SÃO PAULO - A única esperança do País ainda na luta pelo título do Brasil Open é Thomaz Bellucci. O brasileiro superou nesta quinta-feira o austríaco Andreas Haider-Maurer por 2 sets a 1 - com parciais de 7/6 (7/4), 5/7 e 6/3 - e avançou na competição disputada no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Nas quartas de final, o adversário será o eslovaco Martin Klizan, que não se intimidou com o favoritismo do terceiro cabeça de chave e derrubou o espanhol Marcel Granollers em sets diretos - parciais de 6/4 e 6/3.

"Joguei bem alguns pontos, no segundo set fiquei um pouco travado, fiquei um pouco lento", disse Bellucci, que na semana que vem voltará ao grupo dos cem primeiros do ranking da ATP. "Foi crucial tentar voltar à intensidade normal, a quebra no início me fez jogar mais solto o terceiro set inteiro. Preciso manter a intensidade, não posso baixar a guarda como baixei hoje (quinta-feira)."

O canhoto de Tietê (SP) começou o jogo implacável. Logo de cara quebrou o saque do austríaco e confirmou o seu serviço, abrindo 2/0. O adversário foi em busca do prejuízo e no sexto game conseguiu empatar por 3/3. Entre alguns ralis, a primeira parcial só foi decidida no tie-break. Com dois aces seguidos, Bellucci conseguiu ditar o ritmo e largou na frente ao aplicar 7/6 (7/4).

O segundo set foi bastante equilibrado e a primeira quebra de serviço veio de Haider-Maurer em um momento decisivo. O brasileiro não conseguiu devolver a quebra e cedeu a parcial para o austríaco, que fechou a parcial em 7/5.

A resultado desconcentrou Bellucci, que quase foi surpreendido no primeiro game do terceiro set. Mas ele conseguiu reverter o panorama, confirmou o serviço e ainda quebrou o adversário no game seguinte, fazendo 2/0. Um dos pontos foi alvo de reclamações do austríaco com o juiz de cadeira. O brasileiro passou a confirmar os seus games com mais facilidade que o rival. O game final foi acirrado, mas o brasileiro levou a melhor e fechou a parcial em 6/3 e o jogo em 2 sets a 1.

Mais cedo, Rogério Dutra Silva teve dificuldade, sentiu o cansaço e acabou derrotado pelo italiano Paolo Lorenzi por 2 sets a 0, em 1 hora e 11 minutos de jogo. O paulista se juntou aos já eliminados João Souza, o Feijão, Guilherme Clezar e Bruno Soares nas duplas e deixou Bellucci como único sobrevivente do Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil OpenThomaz Bellucci

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.