Thomaz Bellucci diz que precisa melhorar para ir à semifinal

Tenista brasileiro encara o eslovaco Martin Klizan nesta sexta-feira

Alessandro Lucchetti e Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2014 | 08h45

SÃO PAULO - Em busca de uma vaga na semifinal, o brasileiro Thomaz Bellucci encara o eslovaco Martin Klizan nesta sexta-feira, não antes das 19h30, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. E, para se manter na disputa, ele reconhece que precisará vencer um jogo complicado diante do tenista número 97 do mundo.

"É um jogador muito perigoso, está ganhando bons jogos, vem com confiança e arrisca muito. Vou ter um jogo complicado, terei de jogar melhor do que hoje (quinta-feira), é um adversário mais perigoso que o Haider (rival das quartas)", avaliou.

Sem cabeças de chave pela frente em seu caminho até a final, já que Tommy Haas (1) e Juan Monaco (4) estão do outro lado, o canhoto não aponta isso como vantagem. "Os jogadores têm qualidade, não é porque não são cabeças de chave que são menos perigosos. Tenho de estar mais concentrado no meu jogo do que em quem está ganhando ou perdendo."

Bellucci tem passado sufoco na competição e precisou de 2 horas e 36 minutos para superar o austríaco Andreas Haider-Maurer em três sets, parciais de 7/6 (7/4), 5/7 e 6/3, nesta quinta-feira. Apesar do desgaste, ele está entusiasmado com o embalo. "A sequencia de vitórias é mais importante que estar ganhando em dois ou três sets", afirmou.

O paulista de Tietê preferia ter liquidado o adversário com mais facilidade e brincou: "Se eu pudesse, estava em casa comendo pipoca e vendo o jogo do Palmeiras." Mas ele garante que estará recuperado do desgastante jogo para mais um triunfo em casa.

Se avançar na competição, o brasileiro deve desistir de disputar o Masters 1000 de Indian Wells, nos Estados Unidos. A mudança de piso e a longa viagem à Califórnia iriam atrapalhar a sua adaptação e fazem Bellucci repensar o calendário. "Se eu for para o fim de semana, está muito em cima para jogar em Indian Wells, talvez eu não vá", projetou.

A vitória desta quinta-feira também colocou Bellucci de volta ao grupo dos 100 melhores do ranking da ATP, do qual saiu em julho do ano passado. E aos poucos o brasileiro espera ir se aproximando da elite. "É bom estar de volta ao Top 100, que é onde tenho de estar. Venci cinco jogos nestas duas semanas (chegou até as quartas no Rio Open). São coisas assim que vão me ajudar a readquirir a confiança."

Confira a programação desta sexta-feira na quadra central do Ginásio do Ibirapuera:

14h30 - Juan Monaco x Paolo Lorenzi

A seguir - Albert Montanes x Frederico Delbonis

A seguir - Tommy Haas x Horacio Zeballos

Não antes das 19h30 - Thomaz Bellucci x Martin Klizan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.