Título apaga frustração da Davis

A emoção marcou a conquista do título em Montecarlo. Ao receber o tradicional troféu de prata das mãos do princípe Albert de Mônaco e ouvir o hino nacional, Gustavo Kuerten percebeu a importância desta vitória. Afinal, conseguiu apagar definitivamente a frustração pela recente derrota na Copa Davis, em Florinanópolis, quando se mostrou muito abatido e cabisbaixo pela eliminação do Brasil diante da Austrália. "Mostrei um tênis incrível, numa semana maravilhosa", afirmou Guga. "Depois da decepção na Davis, não poderia ter tido algo melhor para recuperar o ânimo e jogar feliz, quase sem erros." Para celebrar este momento, com o troféu de Montecarlo, o técnico Larri Passos teve uma participação importante. Desde que chegaram ao Principado de Mônaco, o treinador iniciou um trabalho de recuperação psicológica para recuperar o ânimo do tenista. "Tinha de levantar a cabeça dele, fazer o Guga sorrir novamente", afirmou Passos. "E quando joga feliz em quadra fica realmente muito difícil vencê-lo". O próprio Guga mostrou-se convencido de estar totalmente recuperado da frustração e de volta aos seus melhores momentos, justamente na época mais importante do ano para ele: a temporada européia de saibro.Jogou com competência e soube usar a melhor tática para superar as dificuldades encontradas durante a semana. "É difícil jogar 100% o tempo todo", constatou Guga. "Fiz um jogo sólido e acho que estive ainda melhor do que nas semifinais." Empolgado com mais uma conquista, Guga elogiou também seu adversário, Hicham Arazi, um habilidoso tenista que se mostrou conformado com a derrota e satisfeito por ter se transformado no primeiro marroquino a chegar a uma final de um torneio Masters Series. "Estou muito feliz pela boa semana que tive", disse. "Afinal, antes de chegar a Montecarlo não tinha ganho muitos jogos e acho que iniciei uma nova fase." Guga sentiu de perto este bom momento de Arazi e, apesar da vitória em três sets, confessou ter enfrentado muitas dificuldades para superar este talentoso adversário e chegar a mais um título importante. "Tive de fazer de tudo na quadra", contou o brasileiro. "O Arazi varia bastante seu jogo, com bolas baixas, depois outras altas e forte e, por isso, tive de mostrar muita força para vencer este jogo. Estou realmente muito feliz e satisfeito com meu desempenho. Afinal, este ano só tive uma derrota em quadras de saibro e já ganhei três títulos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.