Ng Huan Guan/AP
Ng Huan Guan/AP

Título faz Melo entrar no Top 10 do ranking de duplas

Brasil agora tem dois dos oito melhores duplistas do mundo

AE, Agência Estado

14 de outubro de 2013 | 08h44

SÃO PAULO - O Brasil agora tem dois dos oito melhores duplistas do mundo. Ex-parceiro de Bruno Soares, o terceiro do ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), Marcelo Melo subiu para a oitava posição na lista divulgada nesta segunda-feira depois de vencer, com o croata Ivan Dodig, o Masters 1000 de Xangai, na China. Esta é a primeira vez que o brasileiro de 30 anos frequenta o Top10 do ranking.

Com o primeiro título juntos (e também o primeiro da carreira de Didig), a dupla formada pelo brasileiro e pelo croata subiu ainda para a terceira colocação no ranking que considera apenas os resultados obtidos este ano e que aponta as duplas que jogarão ao ATP Finals, no fim do ano. Ainda que não estejam matematicamente garantidos, estão muito próximos da classificação.

Nesta lista, em que são considerados apenas os resultados das parcerias, a liderança é dos irmãos Bob e Mike Bryan (EUA), com larga folga sobre o brasileiro Bruno Soares e o austríaco Alexander Peya. Melo e Dodig ganharam três posições e jogaram para o quarto lugar Marcel Granollers e Marc Lopez (Espanha).

Já no ranking de entradas, que leva em conta os resultados individuais dos duplistas nas 52 semanas anteriores, Marcelo Melo ganhou três posições para subir ao oitavo lugar, com 4.785 pontos, na cola de Lopez e Granollers, que têm 4.870. Os espanhóis, porém, defendem o título do ATP Finals.

Bruno Soares continua na terceira colocação do ranking de entradas, com 6.810 pontos, logo à frente do seu atual parceiro, Alexander Peya. O brasileiro já está classificado, com Peya, para o ATP Finals. A tendência é que ele e Marcelo Melo voltem a jogar juntos em 2016, para formarem a dupla do Brasil na Olimpíada.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisMarcelo Melo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.