Torneio de Miami é o "5º Grand Slam"

O Torneio de Miami começa nesta quarta-feira nas quadras de Crandon Park, um antigo depósito de lixo, na hoje exuberante ilha de Key Biscayne, na hispânica Miami. O torneio é o segundo da temporada da série Masters, mas com uma fórmula inédita e com o brasileiro Gustavo Kuerten como uma das maiores estrelas, bem que poderia ser o Grand Slam da América Latina, embora seja jogado nos Estados Unidos, numa região de forte acento latino.Com um formato diferente de todos os outros torneios do circuito, o Ericsson Open é mesmo conhecido como o quinto Grand Slam - depois do Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open -. Tem uma fórmula de disputa aperfeiçoada, inteligente, e que amplia, certamente, os momentos de emoção para o público.Assim como no Grand Slam, o Ericsson Open também conta com chave de 128 jogadores, nas modalidades masculina e feminina. A vantagem está em colocar no quadro 96 jogadores, com os cabeças-de-chave já classificados para a segunda rodada. Com isso, não se corre o risco de as maiores estrelas serem eliminadas numa primeira rodada e, como a competição começa numa quarta-feira, todos os grandes nomes, desde Guga a Marat Safin, Pete Sampras, Andre Agassi entre outros, jogam no primeiro fim de semana, ficando o segundo sábado e domingo para as decisões feminina e masculina, respectivamente.Há muito tempo que o Ericsson Open mostra esta vocação para Grand Slam. Mas só este ano, a competição coloca chaves de 128 jogadores. A diferença para com Roland Garros ou Wimbledon, por exemplo, é que em Miami encontra-se ingressos mais facilmente, inclusive a preços convidativos. É claro que em Paris ou Londres os centenários torneios têm charme e tradição incomparáveis.A premiação, embora atraente, é menor que a do Grand Slam. Enquanto o US Open, por exemplo, dá mais de US$ 700 mil ao campeão individual, em Miami, o vencedor da chave masculina vai embolsar um cheque de pouco mais de US$ 400 mil. Os pontos no ranking são proporcionais. No Grand Slam, o campeão acumula mil para a lista de entradas e no Masters Series - como Miami - 500. Na defesa da liderança do ranking mundial, o brasileiro Gustavo Kuerten treina desde sábado em Miami e vai ter de esperar pela primeira rodada para conhecer seu adversário de estréia, que sairá da partida entre o suíço Marc Rosset e o marroquino Hicham Arazi. Guga, que nesta quarta-feira às 11 horas de Miami, irá participar de uma coletiva e apresentar a nova linha de raquetes Head Intelligence, mostrou-se atento ao seu primeiro desafio no torneio."O Rosset é um jogador de saque violento e que costuma fugir da esquerda para bater forte de direita", disse. "O Arazi é um jogador mais técnico e que enfrentei por três vezes, tendo vencido as duas últimas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.