Torneios futures agitam tênis do País

A série de torneios futures - com premiação modesta de US$ 10 mil - programadas para o Brasil já está dando bons resultados. Sem precisar viajar, gastar em dólares ou euros, os tenistas brasileiros estão aproveitando bem a chance de jogar perto de casa. Neste fim de semana, dois brasileiros fizeram a final do Future de Guarulhos, com o gaúcho Francisco Costa conquistando o título ao derrotar Thiago Alves, por 6/4, 3/6 e 6/4.Neste segundo semestre estão programados 11 torneios futures no Brasil. Além disso, haverá um circuito latino-americano de Challengers - competições com premiação de, no mínimo, US$ 50 mil -, o que promete dar um novo impulso aos tenistas brasileiros. Este número maior de competições facilita a vida dos jogadores, que podem somar pontos na ATP sem os mesmos sacrifícios e despesas de excursões à Europa e Estados Unidos.No lado feminino, num dos cenários de maior apelo turístico do País, começa nesta segunda-feira uma série de futures para as mulheres. O Pantanal Tenis Open vai dar US$ 10 mil em prêmios e, além de jogadoras já conhecidas como Joana Cortez, conta com algumas promessas, como Teliana Pereira, Fernanda Hermenegildo e Laís Ogata.O torneio vai até o dia 24, no Rádio Clube de Campo Grande, e conta com tenitas de 11 países, inclusive mais uma das revelações russas, Ekaterina Dranets, de 16 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.