Tursunov quer defender tênis dos EUA

As vitórias de Dmitry Tursonov sobre Gustavo Kuerten e, nesta sexta-feira diante de John van Lottum, por 6/4, 3/6, 6/3, 5/7 e 6/2, alcançando a terceira rodada do US Open podem ajudá-lo no seu maior objetivo no momento: ganhar a cidadania norte-americana. Nos Estados Unidos desde os 12 anos - está com 21 - Tursunov se diz sem pátria. "Quando vou para a Rússia me chamam de americano, quando estou na América, de russo", afirmou. "Com isso, não consigo apoio nem da federação de tênis da Rússia, muito menos da USTA - a Associação Norte-Americana de Tênis -".Com muitos tenistas ainda na chave, os Estados Unidos parecem não precisar de reforços e até mesmo já está sendo esperado um duelo norte-americano com a Rússia na rodada deste sábado, entre dois dos maiores nomes do tênis: Andre Agassi vai enfrentar Yevgeny Kafelnikov por uma vaga nas oitavas-de-final. Agassi ainda não perdeu um set na competição.Nos jogos desta sexta-feira, além de Tursunov, o holandês Sjeng Schalken - nome confirmado para o Brasil Open - também ganhou vaga na terceira rodada ao derrotar o alemão Lars Burgsmuller por 4/6, 2/6, 6/2, 6/2 e 6/0. Em outros jogos, Xavier Malisse ganhou de Agustin Calleri por 6/2, 6/7 (10/8), 6/3, 3/6 e 6/3, enquanto no feminino, as favoritas continuam tranqüilas: Kim Clijsters venceu Svetlana Kuznetsova por 6/3 e 6/2, alcançando as oitavas-de-final, assim como Amelie Mauresmo (ganhou de Maria Kirilenko por 6 /4 e 6/2) e Lindsay Davenport, que eliminou Melinda Czink por 6/0 e 6/2.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.