Eduardo Munoz/Reuters- 7/9/2014
Eduardo Munoz/Reuters- 7/9/2014

US Open começa nesta segunda-feira e terá premiação recorde

Vencedores vão levar para casa prêmio de R$ 11,8 milhões

O Estado de S. Paulo

31 Agosto 2015 | 05h00

O último Grand Slam do ano começa nesta segunda-feira, nos Estados Unidos, com uma premiação recorde de US$ 42,3 milhões (R$ 151,6 milhões) para os tenistas, valor 10% maior em relação ao ano passado. Só para se ter uma ideia, os campeões do individual masculino e do feminino no US Open receberão cada um US$ 3,3 milhões (R$ 11,8 milhões). Por isso, atletas como Novak Djokovic, Roger Federer, Rafael Nadal, Serena Williams e Simona Halep vão fazer de tudo para ficar com a glória.

No caminho de Djokovic, número um do mundo, está o brasileiro João Souza, o Feijão, que teve azar no sorteio das chaves e na estreia vai encarar o sérvio. Em péssima fase no circuito mundial do tênis, com seis derrotas consecutivas, Feijão sabe que terá um desafio extremamente complicado. Número 89 do mundo, pela primeira vez ele vai enfrentar Djokovic. 

Outro brasileiro no torneio, Thomaz Bellucci foi colocado como cabeça de chave e vai encarar o britânico James Ward, 134.º colocado. O número 30 do mundo está em boa fase e chegou até as quartas de final do torneio de Winston Salem. “Fiz quatro boas semanas em quadra dura e me sinto pronto para o US Open”, afirmou.

Número 2 do mundo, o suíço Roger Federer vai estrear no US Open diante do tenista teoricamente mais difícil possível para os cabeças de chave, o primeiro tenista fora da relação dos 32 pré-classificados. Se trata do argentino Leonardo Mayer, o 33.º colocado no ranking. O espanhol Rafael Nadal, por sua vez, vai estrear diante do croata Borna Coric, 35.º colocado.

FEMININO 

Favorita, Serena Williams pode alcançar marcas importantes no US Open. Se vencer, ela será a primeira tenista desde Steffi Graf, em 1988, a ganhar os quatro Grand Slams na mesma temporada. A norte-americana já venceu o Aberto da Austrália, Roland Garros e Wimbledon neste ano. Outro detalhe é que ela pode ser tornar a primeira tenista desde Chris Evert, que brilhou de 1975 a 78, a vencer quatro edições seguidas do US Open.

A número 1 do mundo busca o sétimo título na competição e vai iniciar a disputa em Nova York contra a russa Vitalia Diatchenko, 86.ª do ranking da WTA. Na segunda rodada, poderá pegar a croata Mirjana Lucic-Baroni e, na sequência, tem boas chances de cruzar com a local Sloane Stephens, representante da nova geração americana e frequentemente comparada com a própria Serena.

A brasileira Teliana Pereira, 53.ª do ranking, estreará contra a russa Ekaterina Makarova, 13.ª cabeça de chave e semifinalista em 2014. “Sei que vai ser um jogo duro, mas quero entrar para fazer o meu melhor e sair com um bom resultado”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.