Montagem/Estadão
Montagem/Estadão

Conheça semifinalistas do US Open: Federer, Wawrinka, Djoko e Cilic

Tenistas buscam vaga na decisão do último Grand Slam do ano

O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2015 | 07h01

O US Open, último Grand Slam do ano, conhecerá os seus finalistas da chave masculina nesta sexta-feira. A partir das 18 horas (de Brasília), Novak Djokovic tenta acabar com o sonho de Marin Cilic pelo bicampeonato e conta com um amplo retrospecto a seu favor: 13 vitórias em 13 confrontos. Por outro lado, Roger Federer e Stan Wawrinka fazem uma semi suíça em Nova York. Os compatriotas já se enfrentaram 19 vezes, com larga vantagem de Federer (16 a 3). No entanto, Wawrinka levou a melhor no último duelo entre eles. Os tenistas, exceto Cilic, já garantiram vaga no ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores da temporada e será disputado, em Londres, entre 15 a 22 de novembro.

Conheça os quatro semifinalistas do US Open:

NOVAK DJOKOVIC

Aos 28 anos, Novak Djokovic vive uma temporada impecável: são 56 vitórias e apenas 5 derrotas. O tenista nascido em Belgrado, na Sérvia, chegou a dez finais e levantou a taça de campeão seis vezes neste ano, sendo dois títulos de Grand Slam - Aberto da Austrália (piso duro) e Wimbledon (grama) - e quatro torneios de nível Masters 1000 (Roma, Montecarlo, Miami e Indian Wells). Na Oceania, conquistou o pentacampeonato e tornou-se o maior vencedor de todos os tempos do Aberto da Austrália na Era Aberta do tênis. Ao todo, acumulou US$ 10.618.664 (R$ 40.902.031) em premiação só neste ano.

O currículo é ainda mais brilhante. Líder do ranking da ATP, com 14.865 pontos, Nole busca fechar a temporada como número 1 do mundo pela quarta vez em cinco anos (2011, 2012 e 2014). O sérvio conquistou 54 títulos na carreira e soma 660 vitórias e 145 derrotas, o que lhe rendeu US$ 83.066.648 (R$ 319.964.421) em prêmios. Além da força física e mental, Djokovic - que cresceu tendo Pete Sampras como ídolo - também é lembrado por sua simpatia e seu jeito descontraído.

MARIN CILIC

O croata Marin Cilic entra em quadra com a missão de defender o título do US Open conquistado em 2014 sobre o japonês Kei Nishikori, o seu maior feito na carreira até hoje. Número 9 no ranking, o tenista ainda não teve o que comemorar neste ano e busca a sua primeira final na temporada. Em 2015, ele ganhou 18 partidas e perdeu 13. Sem troféus, recebeu US$ 911.266 (R$ 3.510.105) de premiação.

Aos 26 anos, Cilic é o quarto tenista da Croácia a fazer parte do top 10; sua melhor posição alcançada foi o oitavo lugar. Dos 13 títulos na carreira, onze foram conquistados em quadra dura e quatro no ano passado. No total, o atleta possui 325 vitórias e 180 derrotas no currículo e já levou US$ 12.257.624 (R$ 47.215.141) em prêmios. Entre os dias 18 e 20 de setembro, defenderá a equipe croata diante do Brasil na Copa Davis, em Florianópolis.

ROGER FEDERER

Com 17 títulos em 26 finais, Roger Federer é o maior vencedor de Grand Slams e, em Nova York, faturou cinco taças entre os anos de 2004 e 2008. Atual número 2 do ranking, o suíço é dono do recorde de 302 semanas na liderança e terminou a temporada cinco vezes na ponta da lista da ATP (2004, 2005, 2006, 2007 e 2009). No retrospecto, o tenista possui 1.041 triunfos e 234 derrotas e acumulou US$ 93.146.573 (R$ 359.163.870) em prêmios.

O veterano de 34 anos mostrou em Cincinnati que ainda tem a acrescentar para o tênis mundial com a exibição de um novo golpe. Nesta temporada, Federer conquistou cinco títulos - Masters 1000 de Cincinnati, Halle, Istambul, Dubai e Brisbane - e chegou a outras três decisões - Wimbledon, Masters 1000 de Roma e Masters 1000 de Indian Wells. Ele saiu vitorioso em 45 jogos e acabou derrotado em sete; a premiação recebida em 2015 foi de US$ 4.525.909 (R$ 17.451.452).

STAN WAWRINKA

Com o desempenho em Nova York, o suíço Stan Wawrinka confirma a boa participação em Grand Slams nesta temporada. Além do título em Roland Garros, foi semifinalista no Aberto da Austrália e chegou às quartas de final em Wimbledon. Número 5 do mundo, o tenista ganhará uma posição na atualização do ranking da ATP na próxima semana e ultrapassará o japonês Kei Nishikori. 

Com 36 vitórias e 12 derrotas, Wawrinka sagrou-se campeão em três torneios (Roland Garros, Roterdã e Chennai) e faturou US$ 3.869.123 (R$ 14.918.951) em prêmios em 2015. O seu primeiro título de Grand Slam foi conquistado apenas no ano passado, quando derrotou o espanhol Rafael Nadal na final. Aos 30 anos, Wawrinka venceu 373 jogos e foi superado 227 vezes, somando US$ 18.306.535 (R$ 70.588.168) em premiação.   

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.