Venus: mais forte que muitos homens

De volta às quadras, depois de mais seis meses, Venus Williams precisou de apenas 51 minutos para superar a compatriota Ashley Harkleroad por 6/2 e 6/1, na primeira rodada do Aberto da Austrália. Sem jogar desde a final de Wimbledon do ano passado, quando perdeu o título para sua irmã Serena, mostrou que ainda continua em forma e que pode ser muito mais forte do que muitos homens no circuito profissional.Segundo levantamento da revista eletrônica Tenisbrasil, a força e a média de velocidade do saque de Venus é superior a de jogadores famosos e bem colocados no ranking, como, por exemplo, Guillermo Coria, David Nalbandian, da revelação espanhola Rafael Nadal, ou mesmo do ex-número dois do mundo, Alex Corretja.No segundo dia de jogos do Aberto da Austrália, Venus chegou a sacar a 191 km/h. A média de velocidade de seu primeiro serviço foi de 172 km/h. Guillermo Coria, no jogo em que foi eliminado pelo francês Cyril Saunier por 7/6 (9/7), 6/2 e 6/4), aplicou um saque a 190 km/h, inferior ao de Venus, e sua média de primeiro serviço esteve em 164 km/h. David Nalbandian igualou os 191 km/h da norte-americana, na vitória sobre o brasileiro Ricardo Mello por 6/2, 6/1 e 6/4, mas apresentou média de 166 km/h."Estou de volta", festejou Venus Williams, depois de sua fácil vitória na estréia. "Estava confortável em quadra", revelou a tenista norte-americana que foi colocada como cabeça de chave número três, apesar de estar na 11ª posição no ranking feminino.Enquanto Venus celebra sua força e superioridade entre as mulheres, no lado masculino, o equilíbrio é bem maior e ao término da primeira rodada, 13 dos 32 cabeças-de-chave já foram eliminados, como Guillermo Coria (cabeça 5), Rainer Schuettler (6), Nicolas Massu (12), Martin Verkerk (17), Younes El Aynaoui (18), Tommy Robredo (20), Mardy Fish (21), Felix Mantilla (23), Max Mirnyi (24), Jonas Bjorkman (25), Feliciano Lopez (28), Vince Spadea (29) e Arnaud Clement (3).Sem técnico - Com esperanças de deixar o Aberto da Austrália como líder do ranking mundial, o suíço Roger Federer estreou com uma bela vitória no torneio, ao marcar 6/3, 6/4 e 6/0, em Alex Bogomolov, e disse que não precisa de um técnico para ir longe. O tenista, vice-líder do ranking, não gostou das críticas do ídolo local, Pat Cash, ex-campeão de Wimbledon, que insinuou uma briga entre Federer e o treinador demitido Peter Lundgren. "O meu afastamento de Peter já era uma coisa que vinha amadurecendo há muito tempo", afirmou Federer que deixou o treinador logo após a conquista do título do Masters Cup de Houston. "Sei que ainda tenho muito a aprender com dicas de treinadores, mas no momento, estou me sentindo bem assim, viajando com amigos e minha namorada".Sem também se dar muito bem com os técnicos, e sempre cheio de namoradas, o russo Marat Safin revelou-se disposto a reconquistar um lugar entre os líderes do ranking, depois de sua vitória na estréia sobre o norte-americano Brian Vahaly.

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2004 | 17h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.