Andrew Gombert/EFE
Andrew Gombert/EFE

Venus resiste, mas Serena vence e avança à semifinal do US Open

Número 1 do mundo tem trabalho, mas mantém o sonho vivo

Estadão Conteúdo

08 de setembro de 2015 | 23h25

Serena Williams manteve o sonho de fechar o Grand Slam nesta temporada ao superar a irmã Venus na noite desta terça-feira em Nova York. A número 1 do mundo teve trabalho, principalmente no segundo set, mas buscou a vitória por 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 1/6 e 6/3, ao superar as próprias oscilações ao longo da partida, definida em 1h38min.

Ao faturar a 16ª vitória sobre Venus (já sofreu 11 derrotas), Serena garantiu vaga na semifinal do US Open. E, com a classificação, segue em busca de um feito marcante em sua carreira. Se for campeã em Nova York, fechará o Grand Slam em 2015, por ter vencido também o Aberto da Austrália, Roland Garros e Wimbledon. O feito não é alcançado no circuito feminino desde 1988, quando a alemã Steffi Graf ganhou os quatro principais torneios do ano.

Para tanto, precisará vencer a italiana Roberta Vinci, atual 43ª do ranking. Nesta terça, ela avançou ao superar a francesa Kristina Mladenovic por 6/3, 5/7 e 6/4. A outra semifinal será definida nesta quarta, com Petra Kvitova x Flavia Pennetta e Simona Halep x Victoria Azarenka.

Na noite desta terça, Serena não deu qualquer chance a Venus no set inicial. Quebrou o saque da irmã no quinto e sétimo games, assegurando vantagem folgada para fechar a parcial sem ter sequer o serviço ameaçado. Foram apenas dois erros não forçados em todo o set.

Mas todo o forte rendimento do primeiro set veio abaixo no segundo. Os dois erros do set inicial viraram 11 no segundo. E Serena voltou a oscilar no saque, como aconteceu nas primeiras partidas deste US Open. Cometeu três duplas faltas e acabou se tornando alvo fácil de Venus. Ela emplacou duas quebras e empatou o jogo.

No terceiro set, então, Serena ajustou o saque. Evitou, assim, as ameaças em seus games de serviço e impôs pressão em Venus. A irmã mais velha resistiu o quanto pôde, mas sofreu a quebra na única chance cedida. Com a vantagem, Serena não hesitou e fechou o jogo, contabilizando 35 bolas vencedoras, contra 24 da adversária. Também falhou mais: foram 22 erros não forçados, contra 15 da irmã.

Ao fim do jogo, Serena valorizou o desempenho de Venus. "Ela é a jogadora mais difícil que já enfrentei na minha vida", afirmou, em entrevista concedida ainda na quadra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.