Cristiano Andujar/CBT
Cristiano Andujar/CBT

Vontade de Melo e Soares pesa na escolha de Belo Horizonte na Davis

Dupla de tenistas jogará diante da família na capital mineira

Nathalia Garcia, enviada especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

15 de julho de 2016 | 11h00

Belo Horizonte recebe a partir desta sexta-feira até domingo a série de jogos entre Brasil e Equador pelo Zonal Americano I da Copa Davis. Será a última competição dos tenistas brasileiros em casa antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A escolha da capital mineira como sede do tênis nos próximos dias deve-se muito ao desejo de Bruno Soares e Marcelo Melo, que terão a chance de jogar diante de amigos e familiares.

O presidente da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Jorge Lacerda, disse ao Estado que conversou inicialmente com o capitão João Zwetsch para definir as questões técnicas do local - tipo de piso, condição climática, entre outros - e, então, tomou conhecimento da vontade da dupla mineira de atuar em Belo Horizonte. A proximidade da entidade com o Minas Tênis Clube foi outro fator importante para viabilizar o acerto.

"Quando estava para sair o sorteio, já tinham falado comigo. A decisão teve muito a ver com eles e também com o Minas, por termos uma parceria com o clube há bastante tempo. A estrutura do local estava pronta, o que facilitou financeiramente para o Minas e para nós", explica.

E a dupla brasileira exalta a chance de disputar a competição em casa. A última vez que a capital mineira recebeu a Copa Davis foi em 2006, quando o Brasil foi superado pela Suécia por 3 a 1, no Expominas. "Para a gente é uma grande honra. Passou aqui boa parte da infância, é um clube que nos ajudou demais na nossa carreira. E a Copa Davis é uma das competições mais importantes", enaltece Soares.

A possibilidade de levar a Copa Davis para o Rio de Janeiro foi discutida entre os membros da comissão técnica, mas o Centro Olímpico de Tênis está fechado para competições no momento e a hipótese acabou descartada. Também cogitou-se disputar os jogos em quadra de saibro. No entanto, a CBT chegou a um acordo com a empresa responsável pelo piso duro das quadras olímpicas e decidiu apostar no mesmo material.

Escolha que também agradou aos tenistas brasileiros. "Muito legal ter uma quadra de tênis dentro daquele ginásio, a quadra está do jeito que a gente queria, as cores são as mesmas da Olimpíada e a velocidade está boa. Tudo pronto para o confronto", afirma Melo.

Melo e Soares jogam no sábado, às 14 horas, contra Emilio Gomez e Roberto Quiroz. Os equatorianos também estão escalados para as partidas de simples e podem ser substituídos de acordo com a vontade do capitão Raul Viver. No regulamento da Copa Davis, é possível alterar o competidor que entrará em quadra até uma hora antes da partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.