Wawrinka sua, mas passa por Cilic e pegará Nadal nas quartas em Xangai

O suíço Stan Wawrinka teve muito trabalho, mas confirmou seu favoritismo e avançou às quartas de final do Masters 1000 de Xangai. Nesta quinta-feira, o cabeça de chave número 4 da competição precisou de quase três para despachar o croata Marin Cilic, número 12 do mundo, por 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 6/7 (7/9) e 6/4.

Estadão Conteúdo

15 de outubro de 2015 | 14h57

Mesmo diante do potente saque do adversário, que encaixou nove aces, Wawrinka teve dificuldade mesmo foi na manutenção do serviço. Ao longo dos três sets, chegou a ser quebrado em duas oportunidades, mas respondeu com duas quebras a mais, uma no primeiro e outra no terceiro set, para arrancar para a vitória.

Com o resultado, Wawrinka ampliou a hegemonia diante de Cilic, chegando à nona vitória em 11 partidas entre eles. Há última vez que o croata levou a melhor sobre o suíço foi a cinco anos, no Aberto da Austrália de 2010.

Agora, Wawrinka terá outra difícil missão na luta por uma vaga nas semifinais do torneio chinês. Ele enfrentará o espanhol Rafael Nadal, cabeça de chave número 8, que eliminou o canadense Milos Raonic nesta quinta. Nos 14 confrontos já realizados entre eles, Nadal leva ampla vantagem, com 12 vitórias.

Quem também avançou nesta quinta foi o australiano Bernard Tomic, 20.º do mundo, que surpreendeu o cabeça de chave número 11 Richard Gasquet. Tomic levou a melhor sobre o francês em três sets, com parciais de 6/3, 6/7 (1/7) e 6/4, e agora terá pela frente o número 1 do mundo e grande favorito, Novak Djokovic.

Outro que não terá vida fácil nas quartas de final em Xangai é Tomas Berdych. O checo, quinto cabeça de chave, até passou tranquilamente nesta quinta pelo francês Gilles Simon, número 14 do mundo, por 2 sets a 0, com duplo 6/3. Agora, no entanto, duelará com o britânico Andy Murray, número 2 do mundo, que eliminou o norte-americano John Isner.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.