Wimbledon: Mello vai pegar britânico

Único brasileiro no tradicional torneio de Wimbledon (118ª edição), Ricardo Mello tem tudo para fazer uma boa estréia na competição, a partir de segunda-feira, no All England Club. Afinal, não poderia esperar por melhor sorte na definição da chave, realizada nesta quinta-feira, em Londres. Seu primeiro rival será o desconhecido britânico David Sherwood, apenas o número 260 do ranking mundial, e que, com 25 anos, jamais alcançou uma boa campanha em torneios profissionais. Mello, porém, tem ele mesmo como seu pior adversário. Perdeu na primeira rodada de seus últimos três torneios, inclusive esta semana, na grama de Nottingham. Campeão do ano passado, Roger Federer vislumbra um bom torneio. Sua estréia será contra o perigoso francês Paul-Henri Mathieu, mas em seu lado da chave não tem tantos adversários assustadores. No seu caminho para o título poderá estar o russo Marat Safin, que estréia com Paradorn Srichaphan. Finalista do ano passado, Andy Roddick tem adversário difícil na estréia - o checo Jiri Vanek. O argentino Guillermo Coria vai estrear contra Tomas Behrend, o brasileiro que defende a Alemanha. No feminino, a atual campeã do torneio e grande sensação do tênis, a russa Maria Sharapova, vai pegar na estréia uma das tenistas mais baixas do circuito profissional, a espanhola Nuria Llagostera Vives, de apenas 1,55 metro. A número 1 do mundo, a norte-americana Lindsay Davenport joga contra a russa Alina Jidkova, enquanto a campeã de Roland Garros, a belga Justine Henin, pega a grega Eleni Danilidou. Uma vitória no torneio de Wimbledon deste ano vale cerca de 15 mil libras esterlinas, cerca de R$ 75 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.