Zebra Tsonga pronto para conquistar o mundo em Melbourne

O finalista do Aberto da AustráliaJo-Wilfried Tsonga sorriu, deu de ombros e pensou na resposta. "Não sei", disse a jornalistas quando perguntado sobre qualo seu segredo para chegar à final deste domingo contra oterceiro cabeça-de-chave, Novak Djokovic. "Talvez porque eu não queira jogar mal", acrescentou ele,com um sorriso, encolhendo novamente os ombros. O jogador de 22 anos teve o ímpeto necessário para derrotaroutros cabeças-de-chave, incluindo o número dois do mundo,Rafael Nadal na semifinal, e chegar à primeira final de umtorneio de Grand Slam de sua carreira, contra o sérvioDjokovic. Ao conseguir isso, ele se tornou o primeiro francês aalcançar uma final de Grand Slam desde que Arnaud Clementenfrentou Andre Agassi no Melbourne Park em 2001. Apenas um francês -- Yannick Noah, em Roland Garros em 1983-- venceu um título de Grand Slam na era dos Abertos. Se ele vencer Djokovic, se tornará também o primeirofrancês a conquistar o Aberto da Austrália desde Jean Borotraem 1928, e o terceiro tenista na história do circuito ATP aconquistar o primeiro título de sua carreira num torneio doGrand Slam. Isso tudo não parece estar pesando sobre ele. "Eu não acredito, mas estou aqui e tenho que fazer isso",disse ele. "Apenas jogar, fazer o meu melhor e é isso. "Vou ver o que acontece em quadra, mas farei o meu melhor.Se eu vencer, será inacreditável. Se eu perder, eu fiz o melhorque pude, então não há problema." PRESSÃO MAIOR Djokovic, entretanto, enfrenta uma pressão maior para obtersucesso depois de bater o número um do mundo, Roger Federer, nasemifinal. O sérvio sabe que será o favorito no domingo, não tendoperdido um set sequer no torneio até agora, e tendo jogado umafinal de Grand Slam no ano passado, no Aberto dos EstadosUnidos. "Se olharmos o ranking, sou o favorito", disse o tenista,de 20 anos. "Tenho mais experiência em jogos importantes, e jájoguei final de Grand Slam. "Mas é muito perigoso jogar contra alguém que está numafinal de Grand Slam pela primeira vez, que não tem nada aperder." "Assisti a várias de suas partidas. Fiquei impressionadocom a forma como joga. Ele está vivendo um sonho. Para ele, éuma grande conquista. Então, penso que ele vai arriscar tudo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.