Al Bello/ AFP
Al Bello/ AFP

Alexander Zverev e Dominic Thiem vencem e vão fazer final do US Open

Alemão derrotou Carreno Busta, enquanto austríaco bateu Daniil Medvedev

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2020 | 22h19
Atualizado 12 de setembro de 2020 | 22h44

O alemão Alexander Zverev garantiu, nesta sexta-feira, sua presença na final de domingo do US Open, ao derrotar o espanhol Pablo Carreno Busta, por 3 sets a 2, de virada, com parciais de 3/6, 2/6, 6/3, 6/4 e 6/3, após 3h23 de jogo. Pouco mais tarde, o austríaco Dominic Thiem derrubou o russo Daniil Medvedev e também se garantiu na decisão.

Zverev, apesar de bastante cansado pelo esforço para conseguir se recuperar após um início muito fraco na partida, quando cometeu 36 erros nos dois primeiros sets, só queria saber de festejar seu triunfo. "Já cheguei à minha primeira final de Grand Slam e isso é tudo que importa", disse o atual número 7 do ranking mundial.

Busta repete a atuação de 2017, quando também caiu nas semifinais em Nova York. Neste ano, o número 27 do ranking mundial, de 29 anos, foi beneficiado com a desclassificação do sérvio Novak Dkojovic na disputa das oitavas de final, quando o número 1 do mundo acertou uma bolada na juíza de linha.

Aos 23 anos, Zverev é o jogador mais jovem a chegar à final do Us Open desde Nova Djokovic, em 2010. Ele também pode se tornar o primeiro alemão a ganhar um Grand Slam, poi o último foi com Boris Becker, em 1996, na Austrália. Em 2003, o compatriota Rainer Schuettler chegou à decisão no torneio australiano, mas perdeu para o norte-americano Andre Agassi.

Na final de duplas femininas, a russa Vera Zvonareva e a alemã Laura Siegemund derrotaram a chinesa Xu Yifane a norte-americana Nicole Melichar com um duplo 6/4.

Thiem derrota Medvedev

Em um dos melhores jogos deste US Open, o austríaco Dominic Thiem derrubou o russo Daniil Medvedev na noite desta sexta-feira e conquistou a vaga em sua quarta final de Grand Slam. O segundo cabeça de chave em Nova York venceu o terceiro por 3 sets a 0, com parciais de 6/2, 7/6 (9/7) e 7/6 (7/5), em 2h55min de partida.

Atual número três do mundo, o austríaco se tornou o principal favorito ao título com a desclassificação do sérvio Novak Djokovic, líder do ranking, nas oitavas de final. Na decisão, marcada para domingo, Thiem vai enfrentar o alemão Alexander Zverev, que eliminou também nesta sexta o espanhol Pablo Carreño Busta por 3 a 2, de virada.

Thiem e Medvedev fizeram um dos confrontos mais esperados da competição, carente do talento e do carisma dos ídolos Roger Federer e Rafael Nadal. Os tenistas mais jovens vêm sendo apontados como dois fortes candidatos a se tornarem sucessores dos veteranos no futuro.

E nesta sexta, não fizeram feio. A partida foi marcada por belas e longas trocas de bola, jogadas mais arriscadas, como lobby e deixadas na rede. Thiem foi ligeiramente superior ao longo de toda a partida, mas o placar não sugere facilidade. O rival russo era o único tenista da chave a não perder sets até então.

E só não teve mais sucesso nesta sexta porque o austríaco exibiu incrível disciplina tática nas quase três horas de jogo. Thiem mostrou seu vasto repertório de variações, com slices e forehands potentes no fundo de quadra, além de sólida defesa, atravessando os cantos da quadra com rapidez. Com frequência, insistia no backhand do russo, que não era seu golpe mais forte.

A estratégia deu certo. No primeiro set, obteve duas quebras de saque e não teve o serviço ameaçado em nenhum momento. A parcial destoou do restante do jogo. No segundo set, Medvedev chegou a sair na frente, com uma quebra de vantagem. Mas acabou cedendo a igualdade. E, num equilibrado tie-break, Thiem elevou ainda mais o nível e levou a melhor.

Após abrir 2 a 0 no placar, o austríaco recebeu atendimento médico em quadra, exibindo dores no pé direito. No entanto, não sofreu efeitos do problema físico em seu jogo. Pelo contrário, seguia exibindo grande preparo físico.

No terceiro set, o roteiro foi semelhante ao do segundo. O russo abriu rápida vantagem, com 3 a 0 no marcador. Desta vez, o austríaco sofreu mais para devolver a quebra de serviço, somente no nono game. Mas foi o suficiente para forçar novamente o tie-break, em que mostrou mais uma vez superioridade.

Com o resultado, Thiem fará a segunda final de Grand Slam no ano. No Aberto da Austrália, foi batido por Djokovic. Antes, ele foi duas vezes vice-campeão de Roland Garros, perdendo para Nadal nas duas decisões. Sem os medalhões pela frente, o austríaco terá chance preciosa para enfim faturar seu primeiro Major da carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.