Olivia Harris/Reuters
Olivia Harris/Reuters

Alonso revela fraturas na costela e pode ficar fora do GP da China

Para não agravar sua lesão, o piloto não participará do GP do Bahrein

Estadão Conteúdo

31 de março de 2016 | 11h17

Vetado pelos médicos da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) do GP do Bahrein, marcado para este domingo, Fernando Alonso detalhou nesta quinta-feira os efeitos provocados pelo assustador acidente sofrido na abertura da temporada, revelando que sofreu pequenas fraturas nas costelas e teve problemas no pulmão, o que ainda não era de conhecimento público.

"Eu estava bem no domingo (20 de março, quando se acidentou no GP da Austrália). Um pouco de dor no joelho, mas não era grande coisa, então fui liberado e tudo estava bem. Na segunda-feira, eu tive um pouco de dor no geral, nada muito sério. Então eu voei, cheguei à Espanha e a dor era um pouco maior, por isso fizemos exames adequados e eu tinha um pequeno pneumotórax no pulmão", disse.

Alonso esperava participar neste fim de semana do GP do Bahrein, mas o risco da lesão se agravar em caso de novo acidente e até mesmo afetar o funcionamento dos seus pulmões levaram os médicos da FIA a impedirem a sua participação na prova no circuito de Sakhir.

"Recebi o conselho dos médicos para relaxar em casa e repetir o exame na segunda-feira. O pneumotórax se foi, mas eu tenho algumas fraturas nas costelas e porque na F1 você está em uma posição única no carro, e com a Força G, havia o risco das fraturas passarem para o pulmão. Não é como perna quebrada ou braço, onde você pode lidar com a dor, é o peito, onde existem órgãos, por isso não podemos fazer muito mais", explicou.

Alonso voltará a ser avaliado pelos médicos da FIA antes do início das atividades de pista da prova seguinte, o GP da China, marcado para 17 de abril. E o espanhol admitiu nesta quinta-feira que poderá ficar de fora de mais uma corrida da Fórmula 1 por causa do seu processo de recuperação.

"Não é 100%, terá outro teste que preciso fazer nos próximos oito ou dez dias e depois a FIA irá avaliar novamente, como fizeram hoje", disse. "Vou me recuperar. Já estou recuperado do pneumotórax, apenas as costelas não estão 'coladas', vamos dizer, por isso poderia ser um problema. É muito, muito pequeno o risco, mas eu entendo que todos nós queremos risco zero. Por isso, é apenas uma questão de tempo, nos próximos dez dias devo estar bem, mas não podemos garantir. Talvez cinco dias, talvez dez, talvez 12".

Fora do GP do Bahrein, Alonso explicou que tomou a decisão de permanecer no país e acompanhar a prova do próximo domingo, quando a sua McLaren será ocupada pelo belga Stoffel Vandoorne, piloto reserva da equipe inglesa. "Agora eu ficarei aqui todo fim de semana para ajudar Stoffel, porque é uma boa oportunidade para ele, e para ajudar a equipe, porque amo o que faço, amo a F1 e as corridas", disse.

Esta será a segunda vez em dois anos que o espanhol fica fora de uma prova em razão de um acidente. No ano passado, Alonso não participou do GP da Austrália após sofrer uma forte batida ainda durante a pré-temporada, em sessão de testes no circuito de Barcelona.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.