Após Alonso, confira outros acidentes impressionantes da F-1

Nos últimos 35 anos, cinco pilotos morreram na categoria

O Estado de S.Paulo

22 de março de 2016 | 11h40

Na estreia da temporada 2016 da Fórmula 1, na Austrália, Fernando Alonso foi vítima de um grave acidente. Após derrapar, o piloto espanhol saiu da pista, capotou e parou apenas após bater nas grades de proteção do circuito de Melbourne. Alonso não sofreu ferimentos graves, e até conseguiu sair andando de sua McLaren

Desde o acidente fatal de Jules Bianchi, em 2014, no Japão, muito se discute sobre medidas para aumentar a segurança dos pilotos. Uma dessas especulações é sobre a adoção de um cockpit fechado, o que pode proteger melhor a região da cabeça dos pilotos. 

O acidente de Alonso proporcionou cenas fortes da destruição do carro. Confira alguns dos acidentes acidentes mais graves nos últimos 35 anos na Fórmula 1. 

Gilles Villeneuve (Ferrari), GP de Zolder, Bélgica, 1982

Em maio de 1982, o canadense Gilles Villeneuve não conseguiu frear e acertou a parte de trás da March de Jochen Mass a cerca de 220 km/h. O piloto foi arremessado para fora do carro e, ao atingir o solo de cabeça, morreu na hora. 

Ricardo Paletti (Osella), GP de Montreal, Canadá, 1982

No mês seguinte ao acidente de Villeneuve, o italiano Ricardo Paletti se envolveu em um acidente logo na largada, no Canadá, com Didier Peroni. Apesar de seu carro ficar em chamas por alguns minutos, o piloto não morreu queimado. Paletti faleceu horas depois em um hospital da região devido ao impacto da batida contra seu peito. 

Rubens Barrichello (Jordan), GP de Ímola, San Marino, 1994

Em 29 de abril, em uma sessão de treinos livres, o brasileiro perdeu o controle de sua Jordan e decolou contra a brita de pneus. Barrichello ficou inconsciente, foi atendido pela equipe médica e não participou do resto das atividades do final de semana. 

Roland Ratzenberger (Simtek), GP de Ímola, San Marino, 1994

Na segunda sessão de treinos classificatórios em Ímola, em 30 de abril, Roland Ratzenberger sofreu traumatismo craniano e morreu ainda na pista. Após a asa dianteira do carro quebrar, o austríaco perdeu o controle e atingiu o muro da curva Villeneuve a cerca de 310 km/h.

Roland Ratzenberger's fatal Crash por Mustang-78

Ayrton Senna (Williams) GP de Ímola, San Marino, 1994

O final de semana em San Marino terminou ainda pior, com a morte de Ayrton Senna durante o GP no circuito Enzo e Dino Ferrari. O brasileiro se chocou de frente com o muro depois da quebra da barra de direção do carro. Senna foi declarado morto horas depois em um hospital. 

Largada, GP de Spa-Francorchamps, Bélgica, 1998

Em um dia de muita chuva, 13 dos 22 carros do grid se envolveram em acidente coletivo na logo na largada do GP da Bélgica, em 1998. A batida começou após a McLaren de David Coulthard, que iniciou a corrida na segunda posição, bater contra um muro e ser arremessada de volta para o meio pista. Pela chuva, os outros pilotos não conseguiram desviar. 

Formula 1 Belgique 1998 Massive crash start en... por crash71100

Luciano Burti (Prost), GP de Spa-Francorchamps, Bélgica, 2001

Nas primeiras voltas do GP da Bélgica, Luciano Burti foi tocado por Eddie Irvine durante uma ultrapassagem. Após a asa dianteira se quebrar, o brasileiro ficou sem controle sobre sua Prost a quase 300 km/h e parou apenas no muro de pneus. 

Fernando Alonso (Renault), GP de Interlagos, Brasil, 2003

Terceiro colocado a 13 voltas do fim, Fernando Alonso entrou na Curva do Café e não conseguiu desviar dos destroços do carro de Mark Webber, da Jaguar. O espanhol bateu nos muros de ambos os lados e, ao sair do carro, se sentou muito assustado na pista.

Robert Kubica (BMW Sauber), GP de Montreal, Canadá, 2007

Na 22ª volta do GP canadense, Robert Kubica foi jogado para fora da pista ao tentar ultrapassar Jarno Trulli, da Toyota. Após bater no muro à direita, foi lançado de volta ao circuito, onde capotou e atingiu a proteção do outro lado. Apesar impressionante, o polonês sofreu apenas uma torção no tornozelo. 

Jules Bianchi (Marussia), GP de Suzuka, Japão, 2014

A nove voltas do final da corrida, Jules Bianchi não conseguiu completar uma curva e atingiu a base do guindaste que retirava a Sauber de Adrian Sutil, na área de escape desde a volta anterior. Depois de uma forte pancada na cabeça, o francês de apenas 25 anos, ficou nove internado em estado vegetativo até morrer, em julho de 2015. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.