Andreas Solaro/AFP
Andreas Solaro/AFP

Após incertezas, GP da Itália é confirmado para o calendário de 2017 da Fórmula 1

Anúncio foi feito pelo presidente da região da Lombardia

Estadão Conteúdo

31 Agosto 2016 | 20h12

Os rumores de que o GP da Itália, no tradicional circuito de Monza, poderia deixar o calendário da Fórmula 1 terminaram nesta quarta-feira. Presente na categoria desde a primeira temporada, em 1950, a etapa italiana foi confirmada para 2017.

Segundo os jornais do país, o novo acordo terá duração de três anos. Roberto Maroni, presidente da região da Lombardia, confirmou a informação pelo Facebook. "O Grand Prix continuará em Monza", postou. "Mesmo alguns dias antes de assinar o contrato, estou satisfeito", emendou.

Palco do primeiro título mundial do Brasil, com Emerson Fittipaldi, em 1972, pela Lotus, o GP da Itália em Monza ameaçava ficar de fora pela primeira vez na história da Fórmula 1 por conta das exigências financeiras dos dirigentes da categoria.

Pelo mesmo motivo, provas tradicionais também deixaram o calendário nos últimos anos. A Alemanha ficou de fora no ano passado e a França não participa das disputas desde 2009. A FIA cobra cerca de R$ 63 milhões para cada realização de corrida na Europa. A taxa só é menor para Mônaco, que, pela relevância histórica, paga R$ 42 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.