John Townsend/Divulgação
John Townsend/Divulgação

Autódromo de Interlagos está em sua última fase de reforma

Palco de corridas da F-1 no Brasil passa por 3ª grande repaginação

Robson Morelli, O Estado de S. Paulo

24 Outubro 2016 | 07h00

O compromisso é que as obras no Autódromo de Interlagos acabem em 2017, depois de consumir R$ 160 milhões de investimento, com recursos federais do Programação de Aceleração do Crescimento (PAC) do Turismo. Esta é a terceira grande repaginação do circuito de São Paulo, cujo contrato com a F-1 vai até 2020, no mínimo, mesmo sabendo que o GP do Brasil apareceu no calendário do próximo ano da Federação de Automobilismo com um asterisco, o que quer dizer que ainda precisa de confirmação. As etapas do Brasil, Canadá e Alemanha estão com essa notificação.

Desde sábado, Interlagos acelera suas obras para a prova marcada para o dia 13 de novembro, penúltima do calendário, e que pode fazer Nico Rosberg ou Lewis Hamilton campeão.

O foco nesse momento é a manutenção da pista, cujo asfalto foi trocado em etapas anteriores desta reforma. Novas grades de seguranças foram colocadas no Laranjinha e na Subida do Café, pontos de escape do traçado. Profissionais lavaram as curvas 2, 3, 8 e 10 no fim de semana. Pontos da pista serão pintados. Uma varredura está prevista também para acontecer, de modo a usar máquinas especiais para ‘catar’ pregos e porcas ou qualquer outro material de metal deixados pelo caminho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.